Publicidade

Correio Braziliense

Homem que espancou mulher não tem problemas psiquiátricos

A polícia não descarta a possibilidade de o crime ter sido cometido por vingança


postado em 27/02/2019 17:30

(foto: Reprodução)
(foto: Reprodução)
 
O homem que espancou brutalmente a empresária e paisagista Elaine Perez Caparroz, 55 anos e estava preso preventivamente no Hospital Penal Psiquiátrico Roberto Medeiros, recebeu alta e será transferido para um presídio comum, conforme informações da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap).

Após a última avaliação psiquiátrica, foi constatado estabilidade no quadro médico do estudante de Direito, Vinícius Serra, 27 anos. Na tarde de hoje (27), Elaine compareceu ao Instituto Médico-Legal (IML), no Centro do Rio para realizar o exame de corpo de delito. O exame ajudará a reforçar as provas técnicas do caso contra o agressor, que responderá por tentativa de feminicídio.

Elaine falou que não tem dúvidas a respeito da sanidade mental do agressor e que desde as primeiras conversas, o homem sempre demonstrou 'articulação e coerência'.

Ainda ontem (26), a Justiça do Rio de Janeiro aceitou a denúncia do Ministério Público estadual e decretou a prisão preventiva de Vinicius. Para o MP, a forma como o crime foi praticado, evidencia o menosprezo à condição da mulher, o que caracteriza o feminicídio.

Os procuradores pedem que o agressor seja condenado a crimes que prevêem pena de reclusão de 12 a 30 anos. Além disso, informaram, ele deve ser condenado também ao pagamento de indenização por danos materiais e morais causados à vítima.

A empresária acredita ter sido dopada por Vinícius e afirmou que começou a perder os sentidos após um brinde e já acordou sendo agredida por Vinicius. A polícia não descarta a possibilidade de o crime ter sido cometido por vingança.

Caso


Paredes, móveis e o chão do apartamento sujos de sangue. Fraturas na face, dente quebrado, hematomas e mordidas. Essas foram as marcas deixadas após Elaine ser espancada durante quatro horas, na própria casa, na Barra da Tijuca, depois de se encontrar pela primeira vez com Vinícius, com o qual mantinha contato pela internet por oito meses. Após esse tempo, resolveram realizar um jantar na casa dela, para se conhecerem pessoalmente no último dia 16.

Após o encontro, Elaine dormiu e foi acordada com socos do agressor. “Ele falou então: 'deita no meu ombro para a gente dormir abraçadinho, pra dormir juntinho. Aí eu falei: 'tá bom'. Eu acordei com ele me esmurrando a cara”, disse Elaine no hospital.

Ela conta que Vinícius tentou dar um mata-leão para desmaiá-la. No entanto, a empresária colocou os braços na frente do pescoço para impedir e foi mordida pelo homem. Vizinhos ouviram os gritos de socorro e chamaram a polícia. Segundo o segurança do condomínio, o agressor chegou a se dirigir à portaria sujo de sangue, na intenção de fugir do local, mas foi impedido de sair do prédio. Ele foi preso em flagrante. À corporação, o homem afirmou que tomou vinho, dormiu e acordou em surto psicótico. No entanto, ao entrar no prédio, Vinícius deu nome falso na portaria, o que demonstrou indícios de crime premeditado.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade