Publicidade

Correio Braziliense

Presidente da Vale, Fabio Schvartsman é afastado do cargo, afirma revista

Decisão teria sido tomada pelo conselho da Vale, após recomendação do Ministério Público. Três diretores também teriam sido afastados


postado em 02/03/2019 17:27 / atualizado em 02/03/2019 23:01

Fabio Schvartsman deveria ser o CEO da Vale até pelo menos 2020(foto: Valter Campanato/Ag?ncia Brasil)
Fabio Schvartsman deveria ser o CEO da Vale até pelo menos 2020 (foto: Valter Campanato/Ag?ncia Brasil)
Após receber notificação da Polícia Federal e da Força-Tarefa do Ministério Público que cuida das investigações envolvendo a tragédia de Brumadinho (MG), o conselho da Vale decidiu afastar, neste sábado (2/3), o presidente Fabio Schvartsman. A informação foi publicada pela revista Veja e, até agora, ainda não foi oficialmente confirmada pela companhia.

À frente da empresa desde 2017, Fábio havia sido confirmado como CEO até 2020. Além de seu afastamento, as autoridades recomendaram que fossem demitidos mais três diretores da Vale.

O motivo foi o rompimento da Barragem do Feijão, em Brumadinho, que provocou a morte de 186 pessoas e deixou 122 desaparecidos, segundo balanço da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil de 28 de fevereiro.

Cooperação

Em nota, a assessoria de imprensa da Vale diz que "a diretoria coopera permanentemente com as autoridades encarregadas da investigação, fornecendo absolutamente tudo que lhe é demandado para instruir os procedimentos investigatórios em curso".

A empresa também disse que “seus executivos e funcionários foram colocados à disposição voluntariamente para prestarem depoimentos com o firme objetivo de auxiliar no esclarecimento das causas do lamentável rompimento da barragem.

No site da Vale, consta que Fabio assumiu o cargo “com o principal objetivo de liderar a reorganização societária do grupo com a finalidade de alocar as ações em uma carteira de ordinárias voltadas para o Novo Mercado, mais alto escalão da Bovespa, extinguindo assim Valepar, braço que controla a companhia, e deixando o negócio sem controlador até 2020”.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade