Publicidade

Correio Braziliense

Médico sobre Jane Cherubim: 'Foi preciso desentupir as vias respiratórias'

Vendedora foi encontrada desacordada e bastante machucada, na segunda-feira de carnaval, na cidade de Dores do Rio Preto (ES). O acusado de agredir barbaramente a jovem está foragido


postado em 07/03/2019 22:03 / atualizado em 07/03/2019 22:20

(foto: Reprodução/ TV Gazeta)
(foto: Reprodução/ TV Gazeta)
 
O caso da vendedora Jane Cherubim, 26 anos, espancada e abandonada seminua em uma estrada de Pedra Menina, região de Dores do Rio Preto (ES) continua mobilizando policiais de, ao menos, dois estados brasileiros. Como o crime aconteceu na divisa de Minas Gerais com o Espírito Santo, os investigadores mineiros também estão à caça de Jonas Amaral, namorado da moça e principal suspeito de ter cometido a barbárie. Jane continua internada  na Casa de Caridade de Carangola, na Zona da Mata mineira, sem previsão de alta. 

Um dos médicos responsáveis pelo atendimento à vendedora, José Anchieta Pereira deu entrevista, nesta quinta-feira (7/3), ao telejornal ES2, da TV Gazeta. O cirurgião detalhou o estado em que a jovem chegou à emergência e disse que foi preciso "reestabelecer o equilíbrio hemodinâmico para mantê-la viva. Hoje ela se encontra normal. Ela não teve fratura nenhuma pelo corpo, só o problema na cabeça", disse o cirurgião, se referindo ao trauma crânio encefálico a qual a jovem foi diagnosticada.

Anchieta disse à emissora que foi preciso "desentupir as vias respiratórias" de Jane. A jovem trabalhava com o namorado na segunda-feira de carnaval (4/3) em uma cervejaria, como costumava fazer aos fins de semana e feriados, para complementar a renda. Ao final do expediente  de segunda, Jonas atacou, espancou e abandonou a jovem às margens de uma avenida da região. Como ela estava seminua, os investigadores não descartam a hipótese de estupro, mas a confirmação só será possível mediante exames. 
 
O casal estava junto havia um ano(foto: Reprodução/ Arquivo Pessoal)
O casal estava junto havia um ano (foto: Reprodução/ Arquivo Pessoal)
 
Ricarte Teixeira, delegado de Alegre, município que fica a uma hora de Dores do Rio Preto, disse que a suspeita é de que o agressor tenha tido ajuda para fugir. Jonas chegou a ligar para o pai momentos depois do crime e disse que a vida teria perdido o sentido. "Pelo local em que o carro de Jonas foi abandonado, nos dá a entender que ele foi auxiliado por alguém. Ele não fugiu a pé. Por que abandonaria o carro ali?", disse à Gazeta.

O quadro de Jane Cherubim ainda é delicado e inspira cuidados. A Secretaria de Saúde de Minas Gerais não divulga detalhes sobre o estado da vítima. 

O casal estava junto havia um ano e meio. Familiares de Jane, que encontraram a jovem ensanguentada e desacordada, disseram que ela nunca se queixou do relacionamento, mas que Jonas era muito ciumento. 
 
"Não temos mais dúvidas de autoria, lógico que tem alguns detalhes, nuances para serem resolvidos, investigados. Contamos com apoio da população que se tiver alguma novidade, contate através do 181 e 147, Polícia Militar e qualquer informação que possa ajudar na captura do acusado", disse o delegado da cidade de Alegre, Ricarte Teixeira.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade