Publicidade

Correio Braziliense

Quem são os dois atiradores que mataram ao menos 8 em escola de Suzano

Polícia identificou os dois airadores como Gilherme Taucci Monteiro, 17 anos, e Luís Henrique de Castro, 25 anos


postado em 13/03/2019 13:21 / atualizado em 13/03/2019 18:57

Fotos de Luiz Henrique de Castro, 25 anos, e Gilherme Taucci Monteiro, 17 anos, identificados como os responsáveis pelo ataque(foto: Arquivo pessoal)
Fotos de Luiz Henrique de Castro, 25 anos, e Gilherme Taucci Monteiro, 17 anos, identificados como os responsáveis pelo ataque (foto: Arquivo pessoal)
A Secretaria de Segurança Publica de São Paulo divulgou os nomes dos dois jovens responsáveis pelo ataque à escola estadual Raul Brasil, em Suzano (SP), que resultou em ao menos 10 mortes, incluindo as dos atiradores.

Os autores do massacre foram Guilherme Taucci Monteiro, 17 anos (veja galeria de fotos abaixo), e Luís Henrique de Castro, 25 anos. O secretário de Segurança Pública do estado de São Paulo, João Camilo Pires dos Santos, confirmou, em entrevista coletiva, que os dois são ex-alunos do colégio que atacaram.
 
(foto: Editoria de Artes/CB)
(foto: Editoria de Artes/CB)
 


Eles invadiram a escola na hora do recreio e atiraram em funcionários e alunos, além de os atacarem com facas, machadinha e flechas. Após tentar fazer novas vítimas sem sucesso, no centro de línguas que existe no colégio, tiraram as próprias vidas.

Antes do ataque, eles também atiraram em um empresário, dono de uma locadora de veículos, que morreu após ser socorrido ao hospital. 

Ver galeria . 8 Fotos Reprodução/Internet
(foto: Reprodução/Internet )


Entrada permitida

De acordo com Rossiel Soares, secretário de Educação de São Paulo, Guilherme estudou por dois anos no Raul Brasil e havia deixado de frequentar a escola em 2017. Segundo Soares, ele se aproximou do portão e pediu para ir à secretaria, tendo a entrada permitida pelos funcionários, que acreditaram em sua intenção de retomar os estudos.

Professores disseram ao secretário que, nos dois anos que esteve no colégio, Guilherme não apresentou nenhum problema grave de comportamento. Sobre o assassino mais velho, Luís Henrique, o secretário não tinha tido acesso aos registros escolares até a última atualização desta matéria.
 
Ver galeria . 11 Fotos Nelson Almeida/AFP
(foto: Nelson Almeida/AFP )
 
 
 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade