Publicidade

Correio Braziliense

Bolsonaro sobre ataque em Suzano: 'Monstruosidade e covardia sem tamanho'

Mais de seis horas após a tragédia, presidente prestou condolências às famílias das vítimas, pelo Twitter


postado em 13/03/2019 16:09 / atualizado em 13/03/2019 16:18

(foto: Ed Alves/CB/D.A Press)
(foto: Ed Alves/CB/D.A Press)
 
O presidente Jair Bolsonaro se solidarizou com as famílias das vítimas e classificou o ataque a uma escola de Suzano (SP), ocorrido nesta quarta-feira (13/3), como "uma monstruosidade e covardia sem tamanho". A manifestação do presidente pelo Twitter — canal de comunicação que costuma utilizar — foi feita às 16h, mais de seis horas depois da tragédia.
 
 

"Presto minhas condolências aos familiares das vítimas do desumano atentado ocorrido hoje na Escola Professor Raul Brasil, em Suzano, São Paulo. Uma monstruosidade e covardia sem tamanho. Que Deus conforte o coração de todos!", publicou o presidente na rede social.

Mais cedo, a Secretaria de Comunicação da Presidência da República havia divulgado uma nota à imprensa, dizendo que "mais uma vez, nosso país é abalado por uma grande tragédia". O documento diz ainda que o governo federal manifesta "seu profundo pesar com os fatos ocorridos na cidade, apresentando suas condolências e sinceros sentimentos às famílias das vítimas de tão desumana ação". A nota termina com um recado: "Ao estado de São Paulo, colocamos nosso total apoio para auxiliar na apuração dos fatos".
 
Ver galeria . 11 Fotos Nelson Almeida/AFP
(foto: Nelson Almeida/AFP )
 

Ataque

O tiroteio deixou ao menos 10 mortos, incluindo estudantes e os dois responsáveis pelo ataque, identificados como os ex-alunos Guilherme Monteiro, 17 anos, e Luís Henrique de Castro, 25. Há ainda pessoas feridas, que foram levadas a hospitais da região.
 
O colégio alvo do ataque é Escola Estadual Raul Brasil, que leciona para crianças e adolescentes dos ensinos fundamental e médio. Segundo o coronel Marcelo Salles, comandante-geral da PM de São Paulo, os dois atiradores primeiro atacaram um dono de locadora de carros próximo à escola. O empresário, que é tio de um deles, foi levado ao hospital e submetido à cirurgia, mas não resistiu, sendo a primeira vítima.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade