Publicidade

Correio Braziliense

Procuradoria estadual começa a atender atingidos no ataque em Suzano

Plantão para atendimento dos parentes das vítimas e dos alunos será prestado até domingo


postado em 15/03/2019 19:49 / atualizado em 15/03/2019 19:51

(foto: Reprodução)
(foto: Reprodução)
 
A Procuradoria-Geral do Estado de São Paulo iniciou nesta sexta-feira (15/3) um plantão de atendimento para os parentes das vítimas e dos alunos que se feriram no ataque ocorrido quarta-feira (13/3) na Escola Estadual Professor Raul Brasil, em Suzano. O serviço será prestado até domingo (17/3), das 9h às 17h, na Diretoria de Ensino – Regional Suzano Suzano, na Avenida Mogi das Cruzes, 175, Parque Suzano.

Segundo o governo, o plantão poderá ser estendido de acordo com a necessidade de atendimento. A procuradora-geral do estado, Lia Porto, estará no local neste sábado (16/3), a partir das 15h.

A Defensoria Pública do Estado também vai manter plantão especializado no local. Para tanto, foi instalado um veículo de atendimento móvel, que ficará na Delegacia Regional de Ensino até domingo (17/3),  das 10h às 17h. Defensores públicos, além de equipes multidisciplinares com formação em psicologia e serviço social, vão prestar o atendimento.

No local, também vai funcionar o comitê executivo do governo do estado para apoio às famílias. O objetivo inicial é estar à disposição para contato das famílias e cadastramento de seus dados, incluindo suporte de atendimento psicossocial, sem prejuízo de encaminhamentos para atendimento pelos órgãos da rede pública. A Defensoria Pública oferecerá ainda suporte jurídico gratuito para eventuais medidas cabíveis, incluindo a possibilidade de indenizações, acionando a Justiça, ou de negociações com o governo paulista.

Indenização
 
Na edição desta quinta-feira (14/3), o Diário Oficial do Estado publicou o decreto do governador João Doria que autoriza o pagamento de indenização às famílias das sete pessoas que morreram dentro da escola (cinco alunos e duas funcionárias).

Ontem Dória disse que o valor da indenização seria de cerca de R$ 100 mil para cada família, mas a publicação informa que o valor de cada indenização será fixado por uma comissão, que estudará caso a caso. Quem aderir à indenização precisará abrir mão do direito de processar o estado.
 
Ver galeria . 11 Fotos Nelson Almeida/AFP
(foto: Nelson Almeida/AFP )
 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade