Publicidade

Correio Braziliense

Seminário do Correio discute segurança hídrica e desperdício de água

Todos os anos, segundo a Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (Oscip) Trata Brasil, o país perde o equivalente a mais de 7 mil piscinas olímpicas por dia


postado em 11/06/2019 06:00

Grandes nomes estarão no evento para discutir soluções sustentáveis(foto: Daniel Ferreira/CB/D.A Press)
Grandes nomes estarão no evento para discutir soluções sustentáveis (foto: Daniel Ferreira/CB/D.A Press)
A segurança hídrica e o desperdício de água entrarão em debate, na próxima quinta-feira (13/6), no Correio Braziliense. Das 8h às 12h30, especialistas do setor participam de seminário no auditório do jornal, onde discutirão as perdas para o país e o meio ambiente, experiências e legado.

Todos os anos, segundo a Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (Oscip) Trata Brasil, o país perde o equivalente a mais de 7 mil piscinas olímpicas por dia. A perda de água potável seria suficiente para abastecer 30% da população brasileira em um ano.

Pedro Scazuscka, consultor técnico da Trata Brasil, diz que o levantamento da Oscip tem o objetivo subsidiar medidas que possam reduzir o problema, já que a água é um bem cada vez mais escasso. “O estudo mostra a ineficiência do sistema no país. De cada 100 litros produzidos, o Brasil perde 38.”

Para o presidente executivo da Trata Brasil, Édison Carlos, o aumento das perdas indica problema de gestão e que os investimentos para a redução não são suficientes. As unidades da Federação que lideraram o ranking do desperdício de água, de acordo com a Trata Brasil, são Roraima, com 75%; Amazonas, com 69%; e Amapá, com 66%. O Distrito Federal aparece em 24° lugar, com 34%, abaixo da média nacional.

Seminário Segurança Hídrica

Data: 13/6/2019
Local: Auditório do Correio Braziliense
Horário: das 8h às 12h30
Inscrições gratuitas: correiobraziliense.com.br/segurancahidrica

Programação

 

8h — Credenciamento e welcome coffee

 

8h30 — Abertura com Álvaro Teixeira da Costa, presidente do Correio Braziliense; Paulo Salles, diretor-presidente da Agência Reguladora de Águas, Energia e Saneamento do Distrito Federal (Adasa); Christianne Dias, diretora-presidente da Agência Nacional de Águas (ANA); Ibaneis Rocha, governador do Distrito Federal

 

9h — Palestra de Abertura com Gustavo Henrique Rigodanzo Canuto, ministro do Desenvolvimento Regional (MDR)

 

9h30 — Painel 1 — Crise Hídrica: Experiências e Legado
Mediador — Luciano Mendes da Silva, Secretário Adjunto da Secretaria de Estado da Agricultura, Abastecimento e Desenvolvimento Rural do DF (Seagri)
Mesa — Jorge Werneck, diretor da Adasa; Carlos Augusto Lima Bezerra, presidente da Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (Caesb);
Paulo Massato, diretor de Serviço Metropolitano da Sabesp

 

10h30 — Debate

 

11h — Painel 2 — Segurança Hídrica: Perspectivas
Mediador — José Sarney Filho, secretário estadual de Meio Ambiente do DF

Mesa — Francisco José Coelho Teixeira, secretário de Recursos Hídricos do Ceará; Marília Carvalho de Melo, diretora-geral do Instituto Mineiro de Gestão das Águas (IGAM/MG); Andréa Vulcanis, secretária do Meio Ambiente 

de Goiás (SEMAD) — a confirmar; Oscar Cordeiro Netto, diretor da ANA

 

12h10 — Debate


12h30 — Encerramento com Paulo Salles, 
diretor-presidente da Adasa

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade