Publicidade

Correio Braziliense

Boatos de ataque em escolas na Grande BH provocam medo e serão investigados

Mensagens circularam nas redes sociais dando conta que estudantes de uma instituição de ensino de Contagem seriam atacados. Polícia Civil abriu procedimento de investigação para apurar o caso


postado em 12/06/2019 16:17

Google Street View/Reprodução(foto: Boatos envolveram alunos de uma escola de Contagem)
Google Street View/Reprodução (foto: Boatos envolveram alunos de uma escola de Contagem)
A disseminação de mensagens de um possível ataque a estudante de instituições de ensino de Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, provocou medo a funcionários, alunos e familiares. Os boatos circularam nas redes sociais nesta quarta-feira, mas foram desmentidos. A Polícia Civil abriu procedimento de investigação para apurar o caso. Depoimentos já estão sendo colhidos. A prefeitura reforçou a segurança nas escolas. 
 
De acordo com a Polícia Militar (PM), uma pessoa acionou o 190 dizendo que os boatos sobre os ataques começaram a circular nas redes sociais. Por causa disso, vários pais não deixaram os filhos irem a aula nesta quarta-feira com medo da violência. Os militares deslocaram até a Escola Municipal Vasco Pinto da Fonseca, no Bairro Eldorado, onde verificaram que se tratava de boatos. 

A Prefeitura de Contagem informou que as mensagens falsas de ataque era para uma instituição estadual, mas que acabou atingindo a escola municipal. “A Secretaria Municipal de Educação (Seduc), informa que a Escola Municipal Vasco Pinto da Fonseca foi vítima de um boato alimentado por um vídeo de uma rede social, feito por um estudante, no qual estavam sendo ameaçados alunos de uma outra escola que não faz parte da Rede Municipal de Ensino. No caso, a Escola Estadual Francisco Firmo de Matos”, afirmou, por meio de nota.

 
Reforço na segurança

 

Devido a sensação de insegurança provocada pelas mensagens, a segurança na escola municipal foi reforçada. “Para manter a ordem e a disciplina, a direção da Vasco Pinto da Fonseca, realizou em conjunto com a Guarda Civil de Contagem, rondas em todas as salas do turno da manhã, e subsequente tarde e noite, para falar sobre os perigos de boatos e ameaças oriundos das redes sociais”, disse a administração municipal. 

 

Uma viatura da Guarda Civil ficará na porta da escola. “Ficou também combinado que se houvesse motivos reais, por meio da Guarda Civil, as mochilas serão revistadas nas entradas dos turnos. A Seduc tem acompanhado o caso com muita atenção e até o momento não fora descoberto perigo real sobre o tal caso envolvendo a escola da Rede Municipal de Ensino”, finalizou a prefeitura. 

 

A Secretaria de Estado de Educação (SEE) afirmou que a publicação envolvendo nomes de alunos da Escola Estadual Francisco Firmo de Matos aconteceu na última semana e medidas já estão sendo tomadas. “A direção da unidade escolar tomou todas as medidas cabíveis assim que tomou conhecimento do ocorrido. A direção acionou a Polícia Militar e a Polícia Civil, órgãos competentes e responsáveis que já estão investigando os fatos”, explicou. 

 

A pasta disse, ainda, que a escola funciona normalmente e “as Polícias Militar e Civil, bem como a Guarda Municipal de Contagem, seguem com o apoio presencial nas proximidades da escola”. 

 

 

Investigação

 

Um procedimento de investigação foi instaurado pela Polícia Civil para apurar os boatos de ataque a Escola Estadual Francisco Firmo de Matos. Investigadores já estão ouvindo funcionários, estudantes e pais de alunos. “No momento não serão passados detalhes dos levantamentos para preservar as investigações”, informou. Sobre os possíveis ataques a Escola Municipal Vasco Pinto da Fonseca, afirmou que não recebeu nenhuma denúncia. 

 
  

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade