Publicidade

Correio Braziliense

Diretor-presidente da Adasa defende participação popular no consumo hídrico

Paulo Salles avalia que deve nascer uma vontade para que todos participem da discussão sobre o consumo de água


postado em 13/06/2019 15:08 / atualizado em 13/06/2019 15:08

(foto: Ed Alves/CB/D.A Press)
(foto: Ed Alves/CB/D.A Press)
O diretor-presidente da Agência Reguladora de Águas, Energia e Saneamento Básico do Distrito Federal (Adasa), Paulo Salles, encerrou o Seminário Segurança Hídrica, promovido nesta quinta-feira (13/6) pelo Correio, reforçando a necessidade da participação populacional no consumo hídrico. Ele também relembrou os temas abordados nos painéis, como segurança hídrica e o papel dos ecossistemas.

Segundo Paulo, a população precisa estar motivada a participar das discussões hídricas. Para ele, deve nascer uma vontade para que todos participem de fato. "A falta de água é um elemento perturbador da vida das pessoas e elas ficam aflitas", disse. Paulo frisou a importância de motivar as pessoas a negociarem e a importância de haver uma educação científica. "As pessoas têm que entender os fenômenos relacionados ao tratamento de água para que sejam trazidas ao debate para lidar com informações complexas", apontou.

Sobre segurança hídrica, Paulo destacou que os principais pontos devem abordar infraestrutura e gestão. "Infraestrutura é oferta e demanda de água. A gente tem trabalho forte na infraestrutura para abastecimento e as perdas foram pontos procurados para soluções", disse. Ele afirma que soluções locais de saneamento são uma tendência mundial que resolveria problemas em países da África e em algumas regiões do Brasil. "Há tentativas de trazê-las para residências", disse.

A respeito do papel dos ecossistemas, ele afirmou que as soluções verdes são tendências mundiais para deixar a construção civil mais eficiente e mais barata. Paulo também ressaltou a necessidade de ecossistemas para a água. "O meio ambiente era o ambiente onde tinha água e hoje vimos que ter água requer ambiente adequado, saudável e protegido para que ciclos naturais sejam mantidos", confirmou. 

Por fim, o diretor-presidente da Adasa destacou a importância de ficarmos atentos ao consumo hídrico durante o período de seca, que se inicia. "Espero que, neste período de seca, em pró do uso responsável da água, retornemos às boas práticas aprendidas durante a crise, para que não tenhamos que passar por situações tão difíceis novamente", concluiu.

* Estagiária sob supervisão de Roberto Fonseca

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade