Publicidade

Correio Braziliense

Militar brasileiro suspeito de tráfico foi preso sem direito a fiança

O sargento é membro do Grupo Especial de Transporte da Força Aérea Brasileira (FBA) e integrava a comitiva do presidente Jair Bolsonaro ao Japão


postado em 26/06/2019 16:01 / atualizado em 26/06/2019 17:11

(foto: Isac Nóbrega/PR)
(foto: Isac Nóbrega/PR)
O militar da Aeronáutica detido na terça-feira (25/6), no aeroporto de Sevilha, na Espanha, por suspeita de tráfico de drogas, foi preso provisoriamente na cidade espanhola, sem direito a fiança. Ele está sendo investigado por crime contra a saúde pública. A informação foi dada pelo jornal El Periódico
 
Manoel Silva Rodrigues, 38 anos, é membro do Grupo Especial de Transporte da Força Aérea Brasileira (FBA) e integrava a comitiva que acompanha a viagem do presidente Jair Bolsonaro a Osaka, no Japão, para uma reunião com a cúpula do G-20. 
 
Ao fazer uma parada técnica em Sevilha, os tripulantes tiveram a bagagem revistada pelo controle alfandegário do aeroporto espanhol. Na mala do suspeito, foram encontrados 39kg de cocaína, divididos em 37 pacotes. Ele estava acompanhado de outras duas pessoas. 
 
Ao Correio, o Ministério das Relações Exteriores disse que por meio do Consulado-Geral em Madri, responsável pelo atendimento a cidadãos brasileiros em Servilha, "prestará a assistência consular usualmente dispensada a cidadãos brasileiros presos no exterior". 

 

"Mula qualificada", diz Mourão 

De acordo com o vice-presidente Hamilton Mourão, Rodrigues deveria voltar no mesmo avião do presidente, ao fim da visita ao Japão. "É óbvio que, pela quantidade de droga que o cara tava levando, ele não comprou na esquina e levou, né? Ele estava trabalhando como mula. Uma mula qualificada, vamos colocar assim”, afirmou o vice-presidente.

O suspeito é um sargento "taifeiro", função equivalente à de um comissário de bordo. O Ministério da Defesa e o Comando da Aeronáutica enviaram uma nota oficial sobre o caso, afirmando repudir atos dessa natureza (leia íntegra abaixo). 
 
Bolsonaro também se manifestou sobre o caso e confirmou a colaboração do Ministério da Defesa com a polícia espanhola, "cooperando em todas as fases da investigação, bem como instauração de inquérito policial militar", escreveu nas redes sociais.
 

Nota do Ministério da Defesa

"O Ministério da Defesa informa que, nesta terça-feira (25), foi detido no aeroporto de Sevilha, Espanha, um militar da Aeronáutica por suspeita de envolvimento no transporte de substância entorpecente.

Os fatos estão sendo apurados e foi determinada a instauração do Inquérito Policial Militar (IPM).

O Ministério da Defesa e o Comando da Aeronáutica repudiam atos dessa natureza e darão prioridade para elucidação do caso, aplicação dos regulamentos cabíveis, bem como colaboram com as autoridades".


Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade