Publicidade

Correio Braziliense

Total de crimes cometidos no país cai no primeiro trimestre de 2019

Números atualizados foram apresentados pelo secretário nacional de Segurança Pública, general Guilherme Theophilo, em entrevista ao Correio e à TV Brasília


postado em 17/07/2019 20:19

(foto: Minervino Junior/CB/D.A Press)
(foto: Minervino Junior/CB/D.A Press)
Em entrevista ao programa CB.Poder — parceria da TV Brasília com o Correio Braziliense —, nesta quarta-feira (17/7), o secretário nacional de Segurança Pública, general Guilherme Theophilo, e o diretor de Gestão e Integração de Informações da Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp), Wellington Porcino, apresentaram dados que mostram redução nas ocorrências criminais em todo o país.

Dados do Sistema Nacional de Informações de Segurança Pública, Prisionais, de Rastreabilidade de Armas e Munições, de Material Genético, de Digitais e de Drogas (Sinesp) indicam que, no primeiro trimestre de 2019, foram contabilizados 135.915 registros de crimes contra o patrimônio ou contra a vida, enquanto no mesmo período do ano passado o número foi de 169.895, diferença de 20%.

"Tivemos iniciativas do presidente Jair Bolsonaro e do ministro (da Justiça e Segurança Pública) Sérgio Moro no intuito de endurecer as leis criminais. Também (houve) a transferência de lideranças criminosas entre os presídios. Pela primeira vez, se mexeu na liderança do PCC (Primeiro Comando da Capital). Além disso, fizemos operações nacionais, com todos os órgãos de segurança pública atuando integradamente", afirmou Theophilo (veja abaixo a entrevista na íntegra).

Roubos a instituições financeiras e de carga foram os crimes que mais diminuíram no intervalo: 41% e 38%, respectivamente. Na sequência, as maiores reduções foram de roubos de veículos (30%) e latrocínios (roubo com morte, 23%). "Todas as nossas estratégias elucidam e mostram ao criminoso que o crime não compensa mais e de que ele vai pagar por isso”, destacou o general.

Banco de dados

Com o resultado, o Ministério da Justiça e Segurança Pública quer adotar mais ferramentas para combater as práticas criminais no país. Uma delas será a criação de um banco de dados único, a ser compartilhado entre as polícias de todas as unidades da Federação, que possibilite a consulta de boletins de ocorrência por qualquer corporação.

"Estamos finalizando o projeto do Sinesp Integração e já temos 25 estados integrados. Em um primeiro momento, por determinação legal, esse banco vai começar com as informações apenas de boletins de ocorrência, mas já estamos discutindo a possibilidade de fazer uma integração do registro civil para não permitir que uma mesma pessoa tire 27 carteiras de identidade diferentes ou, se ela tirar, que cada estado saiba que ela tem essa quantidade de documentos”, detalhou Porcino.

Variação no registro de crimes no país (comparação do 1º trimestre de 2019 com o 1º trimestre do ano anterior):

Estupro -5%
Furto de veículos -12%
Homicídio doloso -22%
Lesão corporal seguida de morte -9%
Roubo a instituição financeira -41%
Roubo de carga -38%
Roubo de veículo -30%
Roubo com morte (latrocínio) -23%
Tentativa de homicídio -11%

Fonte: Sinesp 



Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade