Publicidade

Correio Braziliense

Praias de Cabo Frio e Guarapari são engolidas por ressaca

Mau tempo colaborou para a formação de ondas gigantes nessas localidades, que arrastaram carros, destruíram rodovias e provocaram afogamentos


postado em 23/07/2019 14:54

Ressaca causou forte erosão na Praia do Forte, em Cabo Frio, Região dos Lagos do Rio de Janeiro(foto: WhatsApp/Divulgação)
Ressaca causou forte erosão na Praia do Forte, em Cabo Frio, Região dos Lagos do Rio de Janeiro (foto: WhatsApp/Divulgação)
Quem escolheu aproveitar as férias de julho em Cabo Frio (RJ) e Guarapari (ES) está vivendo dias de mau tempo. Muito procuradas pelos mineiros, as praias dessas localidades vêm sendo atingidas por fortes ressacas, provocadas por ventos de até 60 km/h.

 

Na praia do Forte, uma das mais populares de Cabo Frio, na Região dos Lagos, no Rio de Janeiro, dezenas de famílias foram surpreendidas no último sábado (20/7) por uma grande onda, que invadiu a faixa de areia. Um vídeo registrado por banhistas flagrou o momento. Divulgadas nas redes sociais, as imagens mostram cadeiras e objetos sendo arrastados pela força da água.

 

A fim de garantir a segurança dos turistas, a defesa civil interditou Canto do Forte. A previsão do serviço meteorológico da Marinha é de que a ventania deve permanecer até a manhã desta quarta-feira (24).

 

Em Saquarema, outro famoso destino turístico da Região dos Lagos, uma criança foi arrastada pelo mar no domingo (21/7) e segue desaparecida. As buscas do Corpo de Bombeiro completaram três dias nesta terça (23/7). 

 

Veja o vídeo: 

 

 

Litoral de Capixaba 

 

A ressaca do mar do Espírito Santo tira o sossego de comerciantes, banhistas e moradores em Linhares, Guarapari e Vila Velha desde o último fim de semana. 

 

Em Meaípe, uma das praias de Guarapari, na Região Metropolitana de Vitória, a força da água destruiu parte da orla, arrastou veículos e deixou três afogados nessa segunda-feira (22/7). Parte da Rodovia do Sol (ES-060) teve asfalto arrancado. O local foi isolado pelas autoridades. 

 

Na Praia da Costa, na cidade de Vila Velha, o mau tempo colaborou para formação de ondas de até oito metros no domingo (21/7).  

 

 

 

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade