Publicidade

Correio Braziliense

Morador de rua mata professor e engenheiro a facadas no Rio de Janeiro

Suspeito foi baleado e preso por policiais militares. Na tentativa de prisão, outras três pessoas foram feridas


postado em 29/07/2019 11:16

Imagens de câmeras mostram que o morador de rua esperou o carro parar para atacar João Napoli(foto: Reprodução)
Imagens de câmeras mostram que o morador de rua esperou o carro parar para atacar João Napoli (foto: Reprodução)
O corpo do professor Marcelo Henrique Correia Reis será sepultado, nesta segunda-feira (29/7), no Cemitério do Caju, na zona norte do Rio de Janeiro. O professor, de 35 anos, foi morto a facadas pelo morador de rua Plácido Correa de Moura, de 44 anos, na Lagoa Rodrigo de Freitas, zona sul do Rio de Janeiro.

O crime ocorreu na Rua Abelardo Lobo por volta das 12h desse domingo (28/7). A primeira vítima foi o engenheiro elétrico João Napoli, de 34 anos, que parou o seu carro no semáforo da rua, que fica nas imediações da entrada do túnel Rebouças. Imagens de câmeras mostram que o morador de rua esperou o carro parar para atacar João Napoli.

A namorada de João, Caroline Moutinho, saiu do banco do carona e também foi ferida a faca por Plácido. João morreu na hora e Caroline está internada no Hospital Miguel Couto. Segundo boletim da secretaria municipal de Saúde, ela está fora de perigo. Plácido foi baleado e preso por policiais militares. Na tentativa de prisão, outras três pessoas foram feridas.

João e Caroline namoravam há seis anos. Em sua conta no aplicativo Instagram ela publicou, há um mês: “Eu não preciso de um dia para comemorar a sorte do nosso encontro”.

De acordo com a Polícia Militar, homens do 23º Batalhão da PM, do Leblon, foram acionados. Durante a abordagem, policiais foram feridos por Plácido. O morador de rua foi levado para o Hospital Miguel Couto. Também ficaram feridos um policial e a militar Girlane Sena, que permanece internada, com quadro de saúde estável, no Hospital do Corpo de Bombeiros.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade