Publicidade

Correio Braziliense

Polícia descarta legítima defesa e indicia vereador que matou prefeito

Marcos Alves de Lima, que é vereador pela cidade de Naque, no Vale do Rio Doce, Minas Gerais, foi indiciado por homicídio qualificado pela impossibilidade de defesa da vítima, motivo fútil e premeditação


postado em 29/07/2019 13:03

Vereador Marcos Alves de Lima está preso e foi indiciado pelo assassinato do prefeito de Naque(foto: Polícia Civil/Divulgação)
Vereador Marcos Alves de Lima está preso e foi indiciado pelo assassinato do prefeito de Naque (foto: Polícia Civil/Divulgação)
 Está concluída a investigação da Polícia Civil que apurou o assassinato do prefeito de Naque, no Vale do Rio Doce, Hélio Pinto de Carvalho, o Hélio da Fazendinha (PSDB) em 13 de julho. 

 

O autor do crime é o vereador Marcos Alves de Lima, o Marquinho do Depósito (PSDC), que foi preso e indiciado com o fim do inquérito por homicídio qualificado pela impossibilidade de defesa da vítima, motivo fútil e premeditação. 

 

De acordo com o delegado responsável pelas investigações, João Luiz Martins Barbosa, os levantamentos da polícia indicam que o motivo do crime seria uma disputa por divisas de um terreno do vereador autor do crime. Em sua defesa, o político afirmou que teria matado Hélio da Fazendinha por legítima defesa. Ele alegou que apanhou de chicote do prefeito e por isso precisou reagir.

 

Porém, essa hipótese foi descartada pelo delegado. O policial disse que o próprio vereador teria provocado o fato. "Não há o que se dizer, portanto, em legítima defesa, porque não ficou comprovado que Hélio teria iniciado as discussões e agressões", disse. 

 

Entre as diligências que foram feitas para esclarecimento do caso está a reconstituição do crime, que aconteceu na última terça-feira, 23 de julho. Participaram do trabalho as polícias Civil e Militar, o Ministério Público e três testemunhas. O inquérito agora será remetido à Justiça para análise do Ministério Público, que decide se oferece denúncia à Justiça contra o vereador.  

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade