Publicidade

Correio Braziliense

Pesquisador diz que alimentos ultraprocessados não são palatáveis

Segundo Carlos Monteiro, se comparados, alimentos ultraprocessados tem mais açúcares e gorduras, enquanto os não processados tem mais fibra e proteínas


postado em 14/08/2019 11:54

(foto: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press)
(foto: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press)
A mudança no processamento alimentar foi o tema da apresentação do professor Carlos Monteiro, coordenador do Núcleo de Pesquisas Epidemiológicas em Nutrição e Saúde (Nupens), da Universidade de São Paulo (USP), no Correio Debate, na manhã desta quarta-feira (14/8).

O especialista destacou que os alimentos ultraprocessados passam por um processo que envolve muita tecnologia, mas que não são palatável ao consumidor. Para mudar o sabor, o produto ganha corantes, gorduras e açúcares. "Não são características com alimentação saudável. Na verdade, eles adiam a alimentação saudável", alertou.

Segundo Monteiro, se comparados, alimentos ultraprocessados tem mais açúcares e gorduras, enquanto os não processados tem mais fibra e proteínas. Outro problerma são as ações de marketing "sofisticado e agressivo" para convencer o consumidor a comprar os produtos sem levar em conta o valor nutricional.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade