Publicidade

Correio Braziliense

Nutricionista ressalta a importância de fiscalizar publicidades alimentares

Para impulsionar a maior fiscalização das propagandas, principalmente as destinadas ao público infantil, o Idec criou o Observatório de Publicidade de Alimentos (OPA)


postado em 14/08/2019 14:27 / atualizado em 14/08/2019 14:34

(foto: Correio Braziliense)
(foto: Correio Braziliense)
Um dos desafios da alimentação saudável no Brasil é a publicidade de alimentos. O tema exposto nos três painéis do seminário “Os desafios da alimentação saudável no Brasil”, realizado no Correio Braziliense nesta quarta-feira (14/8), foi ressaltado pela líder do programa de alimentação saudável do Instituto de Defesa de Direito do Consumidor (Idec), Ana Paula Bortoletto.

A nutricionista afirma que apesar do Brasil ter uma lei federal que regulamenta as publicidades alimentares desde 1990, as regras não estão sendo cumpridas. “Não há demanda pública sobre essa questão. Não há denúncia sobre propagandas abusivas, logo não parece um problema para alguns órgãos”, avalia.

Para impulsionar a maior fiscalização das propagandas, principalmente as destinadas ao público infantil, o Idec criou o Observatório de Publicidade de Alimentos (OPA). Ana Paula Bortoletto explica que o site tem o objetivo de facilitar as denúncias. “Sabemos que os órgãos estão sobrecarregados, estamos tentando ajudar”, diz. 

A líder do programa de alimentação saudável do Idec acredita que a publicidade também pode melhorar com novas legislações. “Um exemplo, são as as leis que proíbem publicidades alimentar nas escolas, que são vistas na esfera estadual, mas não há uma lei nacional para isso”, pontua.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade