Publicidade

Correio Braziliense

Cerimônia de Abertura dos Jogos Parapan-Americanos encanta o público

Com porta bandeira de Brasília, delegação brasileira domina os desfiles dos atletas em noite histórica de abertura do evento


postado em 23/08/2019 23:41 / atualizado em 23/08/2019 23:54

Ver galeria . 14 Fotos Cerimônia de Abertura dos Jogos Parapan-Americanos de LimaDouglas Magno / EXEMPLUS / CPB - Washington Alves/EXEMPLUS/CPB
Cerimônia de Abertura dos Jogos Parapan-Americanos de Lima (foto: Douglas Magno / EXEMPLUS / CPB - Washington Alves/EXEMPLUS/CPB )
Lima - Palco da Copa América de futebol em 2003 e de shows como do Rei do Pop Michael Jackson, o Estádio Nacional do Peru se coloriu para a Cerimônia de Abertura dos Jogos Parapan-Americanos de Lima, na noite desta sexta-feira (23/8), assim como fez no Pan, menos de um mês antes. A delegação anfitriã, que conta com 139 atletas na competição, levantou as arquibancadas da arena localizada no bairro Santa Beatriz, na capital peruana. Com casa cheia, os peruanos cantaram o nome do próprio país, dançaram e colaboraram com os próprios celulares para o show de luzes durante o espetáculo. 

Maioria na maior competição das Américas, o Brasil contribuiu com o amarelo vibrante do casaco usado pelos 400 representantes no desfile e pela animação. Quinta delegação a entrar no estádio também conhecido como José Diaz, os brasileiros foram lideradas pelo porta-bandeira brasiliense Leomon Moreno, considerado o melhor jogador de goalball do mundo, que completou 26 anos dois dias antes. Vibrantes, os atletas verde-amarelo também causaram alvoroço no público, ao improvisar coreografias e arrancar aplausos. 

Após o desfile dos 33 países, 36 acrobatas assumiram o protagonismo em um cenário de rios de fogo e lava. Eles representavam uma catástrofe natural, passando a mensagem de que a sobrevivência da humanidade estava em perigo. As Linhas de Nasca foram lembradas, ao serem desenhadas por um mar de estrelas. Um astral futurista mostrou um novo horizonte e, assim, se criou o clima para a abertura oficial dos Jogos Parapan-Americanos de Lima-2019. 

Sobre o palco, um total de 500 artistas e voluntários contaram a história do país desde o povo pré-inca por meio da dança. O cenário ganhou vida com a iluminação, que remetia a paisagens históricas e regionais do Peru. A noite que abriu a sexta edição da competição paralímpica ainda teve direito à ola nas arquibancadas lotadas, queima de fogos, hasteamento da bandeira dos Jogos e aos tradicionais discursos dos representantes das instituições esportivas paralímpicas. 

“Essa é a maior competição que o Peru recebeu. O Jogo é importante para que o paradesporto se torne prioridade em nossa agenda nacional”, discursou Carlos Neuhaus, presidente do Comitê Organizador de Lima (Copal). 

O momento mais marcante foi quando a chama paralímpica passou de mão em mão por ex-atletas que fizeram história no esporte peruano até chegar ao nadador Jimmy Eulert, três vezes campeão paralímpico. Na cadeira de rodas, o ídolo peruano acendeu oficialmente a chama paralímpica, que só será apagada ao fim dos Jogos. A cerimônia terminou em música da banda peruana chamada Bareto.

*Repórter viajou a convite do Comitê Paralímpico Brasileiro

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade