Publicidade

Correio Braziliense

Médica atende bebê de 1 ano, desconfia de estupro e aciona a polícia em BH

Segundo a família, não há suspeitas de quem teria cometido o crime. Criança apresentava dor na genitália e teve o hímen rompido, segundo o boletim de ocorrência


postado em 18/09/2019 12:45

Profissional da saúde lotada na Santa Casa de Lagoa Santa suspeitou do estupro e acionou os militares(foto: Reprodução/Google Street View)
Profissional da saúde lotada na Santa Casa de Lagoa Santa suspeitou do estupro e acionou os militares (foto: Reprodução/Google Street View)
A Polícia Militar foi acionada, na madrugada desta terça-feira (17/9), para atender a uma ocorrência de estupro em Lagoa Santa, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Segundo a corporação, a vítima é uma bebê de apenas 1 ano e cinco meses.

Segundo relatos da médica que atendeu a vítima na Santa Casa de Lagoa Santa, a menina apresentava sangramento na genitália, além de vermelhidão. Por isso, a equipe médica suspeitou do estupro e conseguiu constatar o rompimento do hímen da criança.

Com isso, a médica acionou os militares. No local, a avó da criança disse que ela passou o fim de semana na casa da mãe, localizada na Região de Venda Nova, em Belo Horizonte.


Ainda assim, a família da criança não tem suspeita sobre o autor do crime de estupro de vulnerável. 

A Polícia Civil informou que o boletim de ocorrência foi encaminhado à delegacia de Lagoa Santa na manhã desta quarta. “As primeiras informações dão conta que o fato teria acontecido em Belo Horizonte e, caso seja confirmado que o local seria a capital mineira, a instauração do procedimento investigativo deve ficar a cargo da Delegacia Especializada na Proteção à Criança e ao Adolescente - DEPCA, em BH”, informou a polícia. 

Ainda segundo a instituição, após sr atendida na Santa Casa de Lagoa Santa, a menina foi encaminhada ao Hospital Odilon Behrens, na Região Noroeste da capital. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade