Publicidade

Correio Braziliense

Operação da Polícia Militar vira alvo de críticas em Belo Horizonte

Polícia disse que criminosos apontaram armas para a aeronave, o que motivou os disparos de fuzil. Abordagem foi criticada pelos moradores pelo risco de atingir inocentes


postado em 18/09/2019 13:01

Apreensão feita pela PM no Aglomerado da Serra(foto: Divulgação/Polícia Militar)
Apreensão feita pela PM no Aglomerado da Serra (foto: Divulgação/Polícia Militar)
Uma operação da Polícia Militar (PM) foi alvo de críticas de moradores do Aglomerado da Serra, na Região Centro-Sul de Belo Horizonte, nesta terça-feira (17). Isso porque, segundo o Boletim de Ocorrência, a corporação disparou contra dois suspeitos de roubo, que estavam dentro de um matagal localizado dentro da comunidade (leia mais abaixo).

A presidente da Associação de Moradores da Serra, Cristiane Pereira, conhecido como Kika, presenciou o fato da janela de casa. Segundo ela, os militares dispararam três tiros inicialmente, depois mais dois e, por último, outro mais.

De acordo com Kika, todos os tiros miravam uma área conhecida como “Matinha”, onde vivem nove famílias da comunidade. “Nós somos muito a favor da polícia fazer o trabalho dela, mas lá dentro da Matinha tem várias casas. E se atinge algum morador ali? Seria uma tristeza pra gente”, afirma.

O idealizador do projeto Lá da Favelinha, realizado dentro do aglomerado, o empreendedor cultural Kdu dos Anjos também repercutiu o fato no Instagram.

“Odeio usar a rede social pra retratar violência dentro da comunidade, mas isso é um absurdo! @romeuzemaoficial (conta oficial do governador de Minas Gerais, Romeu Zema), não deixe isso acontecer em Minas Gerais! A PM atirou de helicóptero hoje, na matinha, no Aglomerado da Serra! Lá tem várias moradoras e moradores, não vamos permitir que isso aconteça!”, reclamou.

A ocorrência

Divulgação/Polícia Militar(foto: Motocicleta que foi roubada no início da ocorrência: polícia recuperou o veículo)
Divulgação/Polícia Militar (foto: Motocicleta que foi roubada no início da ocorrência: polícia recuperou o veículo)
 
A Polícia Militar agiu depois que dois homens roubaram uma moto no cruzamento das ruas Ceará e Gonçalves Dias, no Bairro Funcionários, Região Centro-Sul da capital mineira.

De acordo com o Boletim de Ocorrência, os suspeitos fugiram pela Rua Maranhão e, depois, com o cerco da corporação, entraram para o aglomerado.

Lá, segundo a PM, eles fugiram para a área conhecida como Matinha. Neste momento, o helicóptero Pegasus da corporação já apoiava os militares que estavam em terra.

Ao decorrer da ocorrência, ainda de acordo com a polícia, os criminosos apontaram uma arma para a aeronave. Em resposta, os militares atiraram com um fuzil neles.

A corporação, no entanto, não confirma que sete tiros foram disparados, conforme informado pela líder comunitária Cristiane Pereira, a Kika.

Os militares conseguiram prender um dos suspeitos. Ele sofreu escoriações durante a fuga e disse que sofreu um tiro de raspão. Por isso, conforme o boletim gerado, a polícia o levou ao hospital.

O outro suspeito, a princípio, havia conseguido fugir. Durante as buscas, a PM recebeu a informação de que traficantes do Aglomerado da Serra agrediam o acusado em represália ao crime cometido nas imediações da comunidade.

A polícia conseguiu localizar esse segundo envolvido, que estava bastante ensaguentado e com marcas de golpes, segundo a PM. Por isso, a corporação encaminhou o homem à Unidade de Pronto-Atendimento Leste, situada no Bairro Vera Cruz, ainda em Belo Horizonte.

Depois, pela gravidade dos ferimentos, o Serviço Atendimento Móvel de Urgência (Samu) se deslocou à UPA para levar o homem ao Hospital de Pronto-Socorro João XXIII, também em BH.

Apreensão

Além dos dois detidos, a polícia ainda apreendeu uma quantidade de drogas no Aglomerado da Serra. Segundo a PM, os dois acusados portavam duas pedras de crack, 15 pinos de cocaína, uma porção de maconha e 35 buchas dessa última droga.

A corporação, novamente com base na ocorrência registrada, também apreendeu uma balança de precisão, um rádio comunicador e uma arma falsa, possivelmente a apontada contra o helicóptero.

A motocicleta roubada no início da ocorrência ainda foi recuperada e devolvida ao dono.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade