Publicidade

Correio Braziliense

Richthofen, Jatobá e Matsunaga deixam a prisão para o Dia das Crianças

Esta é a primeira vez que Elize Matsunaga deixa o presídio após ser condenada por matar e esquartejar o marido em 2012


postado em 10/10/2019 18:28 / atualizado em 10/10/2019 18:36

Elize, Suzana e Anna: as três foram condenadas por crimes que chocaram o país(foto: Reprodução da internet/D.A Press ;Tuca Vieira/Folha Imagem; Filipe Araujo/AE)
Elize, Suzana e Anna: as três foram condenadas por crimes que chocaram o país (foto: Reprodução da internet/D.A Press ;Tuca Vieira/Folha Imagem; Filipe Araujo/AE)
Suzana Von Richthofen, Anna Jatobá e Elize Matsunaga deixaram temporariamente a prisão de Tremembé (SP), na manhã desta quinta-feira (10/10), para passar o Dia das Crianças com as famílias. Esta é a primeira vez que Matsunaga deixa o presídio após ser condenada por matar e esquartejar o marido, em 2012. 

 

Ré confessa, Elize foi condenada a 19 anos, 11 meses e um dia de prisão por matar o marido Marcos Kitano Matsunaga, CEO da empresa alimentícia Yoki. Ele levou um tiro na cabeça e teve o corpo cortado em sete partes. O crime ocorreu no apartamento do casal, na Vila Leopoldina, zona oeste de São Paulo. 

 

Segundo o portal de notícias G1, Elize deve passar a liberdade provisória na casa da família em Chopinzinho, a cerca de 400km de Curitiba. Ela não poderá ver a filha de 8 anos, fruto do relacionamento com o marido. A guarda da menina está com os avós paternos. 

 

 

Assassinatos

Além de Matsunaga, Von Ritchtofen e Jatobá também passam o feriado fora da prisão. O benefício é dado quando há progressão de pena para o semiaberto e bom comportamento do preso.

 

 

Suzane foi condenada a 39 anos de prisão por mandar matar os pais, Manfred e Marísia von Richthofen, em 2002. Já Jatobá foi condenada a 26 anos e 8 meses por matar a menina Isabella Nardoni, de 5 anos, em 2008.  

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade