Publicidade

Correio Braziliense

Enterro de mineira encontrada numa mala em Portugal tem data marcada

Camila Silva Mendes será enterrada na próxima quarta-feira. Segundo seu irmão, Werleis Silva, a previsão de chegada do corpo é no início da semana


postado em 11/10/2019 18:41

(foto: Reprodução/Facebook)
(foto: Reprodução/Facebook)
O enterro de Camila Silva Mendes deve ocorrer na próxima quarta-feira (16/10). Segundo seu irmão, Werleis Silva a previsão de chegada do corpo é do início da semana. A mineira, de Ipatingafoi morta pelo namorado e seu corpo foi encontrado dentro de uma mala, na cidade de Arruda dos Vinhos, em Portugal.

Em conversa com o Estado de Minas, Werleis Silva relatou sua relação com a irmã. “A Camila era uma pessoa extraordinária. Faz muita falta. Éramos muito unidos, nos amávamos”, disse. “Trabalhava muito, pessoa de bem, cuidava da filha, era uma boa mãe. Estamos devastados”, completou. 

Ao ser questionado sobre a relação da irmã com o namorado, seu primo de primeiro-grau, Werleis disse não ter convivido muito com os dois. “Ele mudou há muito tempo para Portugal. Não tínhamos mais contato”, disse. “Ele veio visitar a família e aí começou a se relacionar com a Camila. Na verdade, eles começaram a namorar muito recentemente. Neste dia 15, iria completar cinco meses”, declarou. 

De acordo com o irmão da vítima, Camila chegou a apanhar do namorado em Portugal. “Ela contou para minha mãe, procurou a polícia, mas ficou com medo de ser deportada”, disse. “Ela queria ter uma vida lá, era difícil, tinha planos de levar a filha”, comentou. Werleis afirmou que, depois da agressão, Camila perdoou o companheiro e eles continuaram a viver juntos. 

Werleis ainda disse que não teria conseguido trazer o corpo da irmã de Portugal se não fosse a comunidade brasileira que vive na cidade de Arruda dos Vinhos. “Brasileiro que vai para lá fica em comunidade, né. É mais fácil”, disse. "Ficamos sabendo tudo por eles, até a notícia que ela tinha sido encontrada morta." Ao ser questionado sobre a ajuda do governo, ele afirmou que foi inexistente. “Nem o governo de Portugal, nem a embaixada brasileira, nem a portuguesa - ninguém nos ajudou”, declarou.

A família chegou fazer uma vaquinha para acumular o valor de R$30 mil para o traslado do corpo. O valor total foi arrecadado nesta última quinta-feira (10/10).

Vítima de feminicídio, Camila era muito querida em sua cidade natal. Segundo Werleis, seus pais estão inconformados com a situação, porque, além de terem perdido a filha, eram parentes de quem a matou. “A reação dos meus pais foi de inconformismo. Eles não aceitam. Estão arrasados. Minha mãe está inconformada, ainda mais por ele ser um parente nosso”, disse.

Entenda o caso

No teceiro dia deste mês, o corpo de Camila da Silva Mendes foi encontrado dentro de uma mala, na cidade de Arruda dos Vinhos, Portugal. Segundo as investigações, o crime teria sido cometido por Robson Mandela, seu companheiro. 

Robson foi preso na quinta-feira e espera julgamento. De acordo com o irmão da vítima, ele pode enfrentar 25 anos de prisão. “Pelo que sabemos, ele está preso, esperando o julgamento. Mas deve pegar a máxima, 25 anos”, finalizou.

*A estagiária está sob supervisão da subeditora Ellen Cristie. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade