Publicidade

Correio Braziliense

Acidentes aéreos são frequentes em BH; relembre outras quedas

Em maio deste ano, um monomotor caiu na Rua Minerva, matando o piloto


postado em 21/10/2019 10:45 / atualizado em 21/10/2019 10:59

A queda arrastou parte da fiação da via, que ficou interditada por dois dias(foto: Carlos Henrique Diniz)
A queda arrastou parte da fiação da via, que ficou interditada por dois dias (foto: Carlos Henrique Diniz)
Há menos de cinco meses, a rua Minerva, no Bairro Caiçara, Região Noroeste de Belo Horizonte, - onde ocorreu a queda de um avião nesta segunda-feira (21/10) - foi palco de outro acidente grave. Em 13 de maio deste ano, a aeronave de modelo francês Socata ST-10 Diplomate colidiu com um poste em frente ao número 405, em meio a dezenas de moradias. O médico Francisco Fabiano Gontijo, de 47 anos, instrutor de voo e experiente piloto, morreu na batida. Totalmente carbonizado, o corpo teve que ser identificado pelo IML por meio de exames de arcada dentária e impressão digital. 

A queda arrastou parte da fiação da via, que ficou interditada por dois dias. O episódio deixou moradores e comerciantes apreensivos, uma vez que os voos rasantes são frequentes no Caiçara. Agrava o quadro o fato de que as condições das máquinas que sobrevoam a localidade nem sempre são ideias. No caso do monomotor que caiu em maio, fabricado em 1971, a Inspeção Anual de Manutenção (IAM) estava vencida desde janeiro. 
Um avião caiu no Bairro Caiçara, na Região Noroeste de Belo Horizonte(foto: Carlos Henrique Diniz)
Um avião caiu no Bairro Caiçara, na Região Noroeste de Belo Horizonte (foto: Carlos Henrique Diniz)

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade