Publicidade

Correio Braziliense

Para Mourão, manchas em praias no Nordeste ainda são um mistério

O presidente interino afirmou que nem mesmo a Nasa conseguiria detectar a origem do vazamento


postado em 21/10/2019 14:59 / atualizado em 21/10/2019 15:03

Segundo ele, o que o governo pode fazer é colocar equipes para recolher o material(foto: Mauro Pimentel/AFP)
Segundo ele, o que o governo pode fazer é colocar equipes para recolher o material (foto: Mauro Pimentel/AFP)
O presidente interino, general Hamilton Mourão (PRB), comentou na tarde desta segunda-feira (21/10) no Palácio do Planalto sobre as manchas de óleo no litoral do Nordeste. Segundo ele, as manchas ainda são um mistério pois não há como detectar a proveniência. O que o governo pode fazer de modo efetivo, aponta, é colocar equipes para recolher o material.

“É um caso único na história do mundo. É diferente daquelas manchas de petróleo que avançam pelo mar. As próprias medidas de contenção são complicadas, o máximo que  a gente pode fazer hoje, é ter gente capacitada para recolher esse óleo que chega nas praias, e é isso que nós estamos fazendo", disse Mourão.

“Não há uma previsibilidade porque não se consegue detectar a mancha. Pode vir aí a Nasa, pode vir quem quiser que não consegue enxergar isso ai. É um mistério", acrescentou.

Mourão assumiu interinamente a presidência durante a agenda internacional de viagens de Jair Bolsonaro à Ásia e ao Oriente Médio. Ele negou que haja omissão do governo e chamou uma reunião emergencial de órgãos ambientais na tarde desta segunda (21/10).

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade