Publicidade

Correio Braziliense

Polícia indicia primos de criança de 10 anos que caiu do 9º andar em BH

Investigações descartaram a possibilidade de a menina ter sido arremessada. Entretanto, conclusão do inquérito indicia casal por lesão corporal culposa


postado em 08/11/2019 08:37 / atualizado em 08/11/2019 08:53

Os dois foram indiciados por lesão corporal grave culposa, ou seja, sem intenção de provocar a queda(foto: Sidney Lopes/EM/D.A. Press)
Os dois foram indiciados por lesão corporal grave culposa, ou seja, sem intenção de provocar a queda (foto: Sidney Lopes/EM/D.A. Press)
A Polícia Civil indiciou dois primos da menina de 10 anos que caiu da janela do 9ª andar de um prédio, na Região Norte de Belo Horizonte. O caso ocorreu na madrugada de 13 de outubro. A garota dormia no apartamento dos parentes. Ela comemorava o Dia das Crianças.

Os dois foram indiciados por lesão corporal grave culposa, ou seja, sem intenção de provocar a queda. Segundo a delegada Ana Patrícia França, que conduziu as investigações, o indiciamento tem caráter pedagógico em função de negligência. “Ela é incapaz, só tem 10 anos, por isso o casal é extremamente responsável por ela. Ainda que a queda dela fosse consciente, eles estavam naquele dia garantindo o risco de qualquer dano que pudesse ocorrer à criança”, explicou.

A família suspeita de sonambulismo. De acordo com a Polícia Civil, foram feitas diversas diligências, entre elas coletas de depoimentos do casal de primos, proprietário do apartamento; do síndico; dos porteiros e de vizinhos. Devido ao estado de saúde da vítima, ela foi ouvida em sua residência.

Segundo as investigações, a janela estava aberta naquela noite. A delegada esclareceu ainda que não houve sinais de violência ou agressão. A hipótese de alguém ter arremessado a criança da janela também foi descartada logo no início do inquérito.

O caso

Por volta da 0h30, os parentes ouviram um barulho e gritos de socorro. Os apelos vinham do apartamento 103, onde a menina caiu na área privativa do imóvel, segundo a Polícia Militar e Corpo de Bombeiros. A criança despencou até o telhado colonial do apartamento, chocou-se contra essa estrutura e a perfurou, caindo na área privativa.

O quadro de saúde da criança poderia ser pior, caso o apartamento 103 estivesse vazio. Felizmente, assim que ouviu o barulho, o vizinho, que dormia no momento do acidente, correu até a área privativa e acionou o socorro.

De acordo com o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), a vítima foi encaminhada inconsciente à unidade médica. A criança chegou a ficar internada no Centro de Terapia Intensiva (CTI) do Hospital de Pronto-Socorro João XXIII. Ela sofreu diversas fraturas e precisou passar por cirurgias. A menina recebeu alta após 19 dias internada.

* Estagiária sob supervisão da editora-assistente Vera Schmitz.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade