Publicidade

Correio Braziliense

Cambistas vendem ingressos da final do Mundial Sub-17 de R$ 100 a 300

Apesar dos ingressos estarem esgotados desde a semifinal, torcedores vão ao Gama em busca de entradas para assistir o seleção brasileira


postado em 17/11/2019 17:35 / atualizado em 17/11/2019 20:11

Ver galeria . 10 Fotos Mariana Fraga/CB/D.A Press
(foto: Mariana Fraga/CB/D.A Press )

A duas horas para o início da final da Copa do Mundo Sub-17, no Bezerrão, fãs de futebol foram ao Estádio Bezerrão, no Gama, em busca de ingressos para a partida. Nas bilheterias, as entradas não estavam disponíveis e os torcedores indignados pelos valores encontrados com cambistas em frente ao estádio. Os preços variam de R$ 100 à 300.

Cambista estava vendendo ingresso no valor de R$100(foto: Mariana Fraga/CB/D.A Press)
Cambista estava vendendo ingresso no valor de R$100 (foto: Mariana Fraga/CB/D.A Press)


Em frente ao Gama Shopping, Lauana estava vendendo três bilhetes no valor de R$ 120, cada. A cambista comprou cinco ingressos por R$ 10 e vendeu dois por R$ 150. “Essa é a lei da oferta e da procura”, justificou. Em frente ao mesmo local, um senhor que falou com a reportagem tinha apenas uma entrada, no valor de R$ 100.  “Meu filho desistiu de ir ao jogo, estou vendendo o dele”, contou. 

Cleane e familiares(foto: Mariana Fraga/CB/D.A Press)
Cleane e familiares (foto: Mariana Fraga/CB/D.A Press)


Cleane Santos e 11 familiare saíram de Valparaíso (GO) em busca de ingressos para a partida entre Brasil e México. “Viemos para o estádio na esperança de encontrar algum disponível. Infelizmente não temos previsão se vamos conseguir, mas estamos esperando”, desabafou.


Chuva dá dinheiro

(foto: Mariana Fraga/CB/D.A Press)
(foto: Mariana Fraga/CB/D.A Press)

As partidas que a seleção brasileira em Brasília ficaram marcadas pelas grande quantidade chuva. Cleber Borges, 49 anos, de Riacho Fundo, aproveitou para ganhar dinheiro. Em quatro jogos, ele vendeu 350 capas no valor de R$ 20. “Deu muita água e muitas pessoas deixaram de entrar no estádio para não se molhar. Como estou desempregado, aproveitei a chuva para fazer dinheiro”.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade