Publicidade

Correio Braziliense

Polícia não descarta que ex-funcionário da Backer tenha sabotado cerveja

Corporação não deu detalhes sobre essa parte do inquérito. Marca é principal suspeita de estar ligada aos casos da doença causadora de síndrome nefroneural


postado em 11/01/2020 20:35

(foto: Leandro Couri/EM/D.A Press )
(foto: Leandro Couri/EM/D.A Press )
A Polícia Civil informou, no início da noite deste sábado (11/1), que trabalha com a possibilidade de um ex-funcionário da Backer, que já tem desavenças com a empresa, ter sabotado as linhas de produção L1 e L2 do lote 1348 da cerveja Belorizontina. Há um boletim de ocorrência registrado pela companhia contra essa pessoa.

 

Contudo, até a publicação desta nota, não há evidências de que haja alguma interferência deste ex-colaborador. A polícia só não descarta essa possibilidade. 

 

Backer é a principal linha de investigação da Polícia Civil na apuração dos casos da doença causadora da síndrome nefroneural. A enfermidade já acomete ao menos nove pessoas em Minas Gerais e também resultou na morte de Paschoal Demartini Filho, de 55 anos, que perdeu a vida na última terça.

 

Isso porque a própria polícia encontrou a substância química dietilenoglicol em garrafas do rótulo Belorizontina. O laudo foi obtido depois que a corporação realizou uma operação na sede da Backer, localizada no Bairro Olhos D'Água, na última quarta.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade