Publicidade

Correio Braziliense

Guarda é assassinado após pedir para grupo parar de fumar narguillé

O caso aconteceu em Santo André, no ABC Paulista. Após agressão, Benedito Manoel Silva foi levado ao hospital mas não resistiu e morreu.


postado em 16/01/2020 16:01 / atualizado em 16/01/2020 16:02

(foto: Reprodução/ Facebook)
(foto: Reprodução/ Facebook)
Um guarda municipal morreu na madrugada desta quinta-feira (16/1), em Santo André, ABC paulista. Segundo informações da Guarda Civil Municipal, ele teria sido agredido após uma abordagem no parque Celso Manoel e não resistiu. 

Na quarta-feira (15/1), por volta das 15h45, Benedito Manoel da Silva, de 56 anos, estava em horário de expediente quando recebeu, na sala de segurança, reclamações de pais alegando que adolescentes estariam fumando narguillé próximo ao parquinho infantil. 

De acordo com nota oficial da prefeitura, o guarda, que trabalhava no local há quase 33 anos, solicitou, duas vezes, que os jovens parassem de fumar no local. Em um primeiro momento, as pessoas disseram que eles acatariam o pedido e prometeram que não fumariam mais ali. Porém, instantes depois, os pais retornaram à sala e reclamaram pelo mesmo motivo. 

Após um segundo pedido aos jovens, um dos indivíduos não concordou com a ordem e começou a agredir Benedito Manoel. Depois de ter sido socado no peito várias vezes, o guarda perdeu a consciência e foi levado ao Centro Hospitalar de Santo André. 

Contudo, o agente teve três paradas cardiorrespiratórias e morreu. A previsão é que o sepultamento seja ainda hoje (16/1), às 17h. 

O caso está sendo investigado pelo 4º Distrito Policial de Santo André e, segundo a Guarda Municipal, as câmeras de segurança do parque vão facilitar a comprovação dos fatos e a busca pela identidade do agressor. 


Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade