Publicidade

Correio Braziliense

PF prende dois homens suspeitos de matarem agente da corporação no Rio

Ronaldo Heeren foi assassinado enquanto tentava entregar uma intimação na Favela do Rola


postado em 20/02/2020 11:19 / atualizado em 20/02/2020 11:24

O agente de polícia Ronaldo Heeren(foto: Reprodução/ TV Globo)
O agente de polícia Ronaldo Heeren (foto: Reprodução/ TV Globo)
A Polícia Federal prendeu, nesta quinta-feira (20/2), dois homens suspeitos de atuarem na morte do agente de polícia Ronaldo Heeren, assassinado na semana passada na favela do Rola, em Santa Cruz, no Rio de Janeiro.

 

De acordo com a PF, a prisão dos suspeitos foi realizada no bairro de Sepetiba, Zona Oeste do Rio de Janeiro. Informações preliminares apontam que os assassinos de Heeren seriam milicianos da quadrilha de Wellington da Silva Braga, o 'Ecko', acusado de controlar a maior milícia do Estado do Rio desde 2017.

 

O agente tinha 59 anos, dos quais 22 dedicados à PF. Ele foi assassinado enquanto estava com um colega tentando entregar uma intimação. O agente Plínio Ricciard, que sobreviveu ao tiroteio, está recebendo apoio psicológico e dos colegas da corporação, de acordo com a Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef).

 

Ele relatou que, assim que chegou na favela, a Mitsubishi L200, viatura descaracterizada e não blindada da PF, foi interceptada por um Toyota Corolla prata. Do carro desceram quatro homens armados. Os agentes atiraram e os bandidos revidaram. Ricciard conseguiu saltar da Mitsubishi, pulou alguns muros e se escondeu em uma casa, que estava vazia. O agente Heeren foi sepultado no domingo (15).

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade