Publicidade

Correio Braziliense

Brasileiros deixam base aérea de Anápolis após quarentena

Segundo o Ministério da Saúde, eles não estão infectados pelo coronavírus e não há chance de eles transmitirem a doença


postado em 23/02/2020 11:56 / atualizado em 23/02/2020 12:21

Base área de Anápolis recebeu 58 brasileiros que estavam na China e ficaram isolados até ser descartada a contaminação por conoravírus(foto: Marina Barbosa/ CB/ D.A. Press)
Base área de Anápolis recebeu 58 brasileiros que estavam na China e ficaram isolados até ser descartada a contaminação por conoravírus (foto: Marina Barbosa/ CB/ D.A. Press)
Os 34 brasileiros que saíram da cidade chinesa de Wuhan para escapar da epidemia do coronavírus enfim estão a caminho de casa. Os repatriados foram liberados da quarentena à que foram submetidos na Base Aérea de Anápolis, para se certificarem de que não estavam contaminados pelo COVID-19, na manhã deste domingo (23/2). E logo embarcaram em aviões da Força Aérea Brasileira (FAB).

Os repatriados foram liberados após 14 dias de confinamento, o tempo necessário para descartar uma possível contaminação pelo novo coronavírus, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). A saída da quarentena acontece, por sua vez, antes do prazo inicialmente previsto pelo governo brasileiro. O Ministério da Defesa havia informado anteriormente que a quarentena brasileira duraria 18 dias e, por isso, se estenderia até a próxima quinta-feira (27).

Porém, neste sábado (22), o Ministério da Saúde teve certeza de que os repatriados não haviam sido infectados e, por isso, não poderiam espalhar a doença pelo Brasil, que ainda não registrou nenhum caso de coronavírus. Por isso, o governo decidiu antecipar o fim da quarentena, seguindo as regras internacionais.

O ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, disse que o sentimento era de orgulho e alívio. "Orgulho em ver a superação e o sucesso dessa operação. E o alívio de que todos os resultados deram negativo", afirmou, ao receber das crianças que vieram da China duas bandeiras do Brasil que foram assinadas. Ele ainda prometeu entregar essa bandeira para o presidente Jair Bolsonaro, que vai receber os repatriados em Brasília em breve. 

Segundo o governador de Goiás, Ronaldo Caiado, ainda não há data para a cerimônia presidencial. "Eles estavam doidos para ver a família. Vamos dar esse tempo e depois marcamos", explicou Caiado, que agradeceu ao povo de Anápolis a receptividade aos repatriados. "Esta hoje é a capital da solidariedade", afirmou, lembrando que, como os exames confirmaram, não há risco de transmissão na cidade porque nenhum repatriado foi contaminado pelo coronavírus.

Expectativa era grande

O publicitário mineiro Alefy Rodrigues, de 26 anos, um dos poucos repatriados a falar com a imprensa em Anápolis, confirmou que a expectativa para a chegada em casa era muito grande. "Ansioso para chegar em casa. Tá todo mundo doido para falar com a gente. Tá todo mundo em casa reunido por causa do carnaval. Agora só falta a gente", vibrou, pouco antes de embarcar. 

Foi justamente por essa ansiedade em querer voltar aos braços das famílias, que não puderam ir à Base de Anápolis hoje, que os demais repatriados deixaram o local, após a cerimônia oficial, direto para as aeronaves da FAB, sem falar com a imprensa.

Rodrigues ainda disse que os dias na Base de Anápolis foram ótimos. "Muito além da expectativa, nos trataram muito bem", contou. Os 34 repatriados, por sinal, gravaram um vídeo de agradecimento ao governo e aos brasileiros por conta da repatriação, assim como fizeram quando estavam na China, onde se uniram para gravar um vídeo pedindo ajuda para voltar ao Brasil. O vídeo viralizou na internet e sensibilizou o governo para efetuar a repatriação.

A decisão de desmobilizar a quarentena foi tomada depois de os repatriados passarem por um terceiro exame laboratorial, que confirmou o resultado negativo para o coronavírus. O anúncio de que todos estavam liberados do medo da contaminação e também da quarentena foi dado com festa em um auditório improvisado na Base Aérea de Anápolis nesse sábado.

Vídeos publicados nas redes sociais dos repatriados mostram que eles comemoraram o resultado do exame jogando as máscaras de saúde, que estavam usando para se protegerem, para o alto. 

"Os resultados dos exames foram fundamentais para o Ministério da Defesa iniciar o Plano de Desmobilização da quarentena", informou o governo, que ainda entregou a cada um dos repatriados uma declaração informando o estado de saúde livre da doença. 

Ainda de acordo com o governo, havia 58 brasileiros em quarentena em Anápolis. Eram os 34 repatriados da China e os 24 profissionais que deram apoio ao grupo desde a saída de Wuhan -  sendo 21 militares, dois profissionais de saúde e um profissional da Empresa Brasil de Comunicação (EBC) que fez a cobertura jornalística da Operação Regresso à Pátria Amada Brasil. 

De acordo com o Ministério da Saúde, um repatriado ficará em Anápolis. Já os demais foram levados pela FAB para Brasília, São Paulo, Paraná, Santa Catarina, Minas Gerais e Pará. Os profissionais que deram apoio ao grupo também embarcaram em aviões da FAB para voltarem para suas casas em Brasília, São Paulo e Rio de Janeiro.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade