Brasil

Isolados em Portugal

Correio Braziliense
Correio Braziliense
postado em 18/03/2020 04:12
Os quase 2 mil passageiros do Cruzeiro Soberano, da Pullmantur, que deixaram o Brasil há 15 dias, rumo a Portugal, estão pedindo ajuda para deixar a Europa e retornar para casa. Ontem, um grupo representando os 1.888 turistas se reuniu em frente ao consulado brasileiro em Lisboa e fez um vídeo para expor a situação que todos estão vivendo, sem ter onde ficar e como viajar de volta.

A grande maioria é de brasileiros que tinham planos de viajar pelo continente europeu antes de a epidemia do coronavírus se tornar uma pandemia. Sem ter como seguir viagem ou remarcar as passagens de volta, o grupo aguarda medidas do governo brasileiro e também um posicionamento da CVC, empresa pela qual compraram os pacotes, para saber como serão acomodados até que a situação seja resolvida.

Maurício da Rosa, 53 anos, viajou com a mulher Andrea Fernandes Rosa e os filhos, Gabriela e Matheus, para encontrar Bruna, que mora em Barcelona há um ano. ;Saímos do Brasil há 15 dias, quando havia apenas dois casos suspeitos no país;, conta. O cruzeiro, com origem em Salvador e Recife, e que teve Portugal como destino, foi impedido de atracar em Lisboa e os passageiros só conseguiram desembarcar em Cádiz.

Ainda assim, a autoridade portuária da cidade informou que ;trata-se de uma exceção à ordem aprovada pelo conselho de ministros na passada quinta-feira (12), pela qual se proibia o atraque de cruzeiros em qualquer porto do país até ao próximo dia 26 de março, devido ao risco de propagação da Covid-19;. Os passageiros foram impedidos de voltar a entrar no cruzeiro, e 50 ônibus os levaram a Lisboa. ;Os veículos foram escoltados;, recorda Maurício.

Procurada, a CVC diz que ;a agência tem acompanhado de perto e atuado de forma ativa nas remarcações e embarques de passageiros para o retorno ao Brasil;. Em nota, o Itamaraty informou que ;consulados e embaixadas do Brasil permanecem à disposição para receber demandas dos brasileiros;.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação