Brasil

Fase crítica nos próximos 30 dias

Balanço do Ministério da Saúde mostra o maior número de casos confirmados e mortes em um dia. Em 24 horas, foram registrados 20 óbitos e 482 casos positivos

Correio Braziliense
Correio Braziliense
postado em 27/03/2020 04:03





No dia em que a confirmação do primeiro caso de coronavírus no Brasil completou um mês, o Ministério da Saúde registrou 77 mortes e 2.915 casos diagnosticados com Covid-19. Os dados apresentados ontem mostram o maior número de casos confirmados e óbitos em um dia. De quarta para quinta, foram registradas 20 mortes e 482 casos positivos. A estimativa é que este crescimento continue no próximo mês. ;A previsão é que vamos ter 30 dias muito difíceis. Provavelmente, nós estaremos na frase crítica da pandemia. Não vamos começar a reduzir os casos em 30 dias;, completou Gabbardo.

A pasta informou, no entanto, que o crescimento já era esperado e não o viu como novidade. ;Nós vamos ter daqui para frente, quase que diariamente, um número de casos novos superior ao número de casos novos do dia anterior. E, provavelmente, isso vai acontecer também com o número de óbitos;, explicou o secretário-executivo da Saúde, João Gabbardo. O aumento de casos confirmados depende da transmissibilidade da doença e da quantidade de testes aplicados pelo ministério.

Os óbitos estão localizados nos seguintes estados: São Paulo (58), Rio de Janeiro (9), Ceará (3), Pernambuco (3), Amazonas (1), Rio Grande do Sul (1), Santa Catarina (1) e Goiás (1). Todas as vítimas do novo coronavírus no Brasil estão dentro do grupo de risco. A taxa de letalidade do vírus no Brasil também voltou a crescer e chegou a 2,7%.

Os casos confirmados estão concentrados na região Sudeste, onde 1.665 pessoas já foram diagnosticadas com Covid-19. Em seguida está o Nordeste, com 457 casos; Sul, com 392; Centro-Oeste, com 275; e Norte, com 126.

Para explicar o comportamento do vírus dentro do país, o Ministério da Saúde expôs um levantamento dos casos confirmados e óbitos. O estudo levantou, por exemplo, as principais comorbidades das vítimas da Covid-19 no Brasil até o momento. Entre elas estão a cardiopatia, diabetes, pneumopatia, doença renal crônica, imunodepressão, doença hematológica crônica, doença neurológica crônica, asma, obesidade e doença hepática crônica.

O levantamento feito pelo órgão ainda mostrou que 194 pacientes confirmados estão internados em Unidades de Terapia Intensiva (UTI) e 205 internados em enfermarias. O restante das pessoas diagnosticadas permanece em isolamento domiciliar. A maioria dos casos graves e dos óbitos causados pela Covid-19 notificados no Sivep-Gripe acomete homens. 58% dos pacientes de casos graves são homens e 42%, mulheres. Os homens representam 68% dos óbitos.

O secretário de Vigilância em Saúde, Wanderson Oliveira, destacou o alto volume de trabalho no primeiro mês de enfrentamento à Covid-19. ;Conseguimos detectar o vírus oportunamente. Criamos um sistema de notificação da doença no Brasil porque, no passado, era tudo em planilha. Aprovamos uma lei, decretos e portarias. Ainda temos muita coisa para fazer, mas foi um volume de trabalho muito intenso;, pontuou.



Ministério lança canal exclusivo no WhatsApp
O Ministério da Saúde lançou, ontem, um canal gratuito no Whatsapp para tirar dúvidas da população e profissionais de saúde sobre o novo coronavírus. Um robô de atendimento automático responderá perguntas com orientações sobre a Covid-19. Para utilizar o serviço, basta adicionar o número +55 (61) 9938-0031 à agenda do telefone e iniciar uma conversa com um ;Oi;. A iniciativa tem como objetivo compartilhar informações confiáveis e desmitificar boatos sobre o vírus.





Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação