Publicidade

Correio Braziliense

Entenda por que evangélicos estão fazendo campanha contra assédio na igreja

Movimento começou após uma jovem de Goiânia denunciar o pastor Davi Passamani de assediá-la


postado em 01/04/2020 10:37 / atualizado em 01/04/2020 10:38

(foto: Reprodução/Twitter)
(foto: Reprodução/Twitter)
Desde o último final de semana, os evangélicos fazem uma campanha nas redes sociais contra o assédio sexual nas igrejas. O movimento começou após uma jovem de Goiânia acusar o pastor Davi Passamani de assediá-la na Igreja Casa Movimento Cristão. Antes de registrar boletim de ocorrência, ela relatou o caso no Twitter.

 

De acordo com a estudante de veterinária, Passamani a procurou em uma ligação e pediu para não ser olhado como pastor, mas como ser humano. “Eu ainda sem entender falei 'claro pastor tudo bem'. Aí ele começou a pedir para que eu não o chamasse de pastor e começou a perguntar coisas íntimas da minha vida sexual! Ele perguntava sobre minha vida com meu namorado, perguntava coisas horríveis, e eu fiquei sem entender, comecei a gelar”, relata.

 

Ainda no relato, a jovem conta que procurou o namorado, pois já tinha conhecimento de outra acusação de assédio contra o líder religioso. “Ele [o namorado] disse pra dar corda, porém não demonstrar interesse, pra ver até onde ele iria [...] fui mandando tudo pro meu namorado, sem ele saber”, conta.

 

A estudante também conta que Passamani chegou a pedir para fazer uma videochamada e que o namorado a orientou para fazer e gravar a conversa. “Ele começou a falar que queria sentir meu beijo e começou a falar de um sonho que ele teve cmg, HORRÍVEL POR SINAL, NOJENTO”, diz. Ainda de acordo com a jovem, o pastor pediu que ela fizesse poses sensuais e tirasse a blusa. “Eu disse que tinha que desligar e comecei a chorar muito e ele continuava mandando mensagens”, conta.

 

No relato, a jovem diz que procurou a igreja e relatou o ocorrido. “Disseram que eu tinha que perdoar o Davi, porque era o diabo usando a boca dele, e que tudo que o diabo queria era destruir aquela igreja, que eu tinha que apagar isso esquecer e seguir em frente pelo meu bem e dos fiéis”, relata. 

 

Outro lado

Diante da repercussão do relato, a Igreja Casa se pronunciou e, em nota (veja abaixo) no domingo (29/3), afirmou que o Conselho Pastoral da Igreja está “cuidadosamente acompanhando, apurando e tomando todas as providências jurídicas e eclesiásticas que o caso requer”. Ainda segundo o texto, o pastor está afastados das funções ministeriais para tratamento médico especializado e cuidados em família.

 

Passamani veio a público se manifestar na segunda-feira (30/3). Também nas redes sociais, ele gravou um vídeo (veja abaixo) emocionado. “Sei que o adultério não é crime no Brasil mas sei também o que isso representa no REINO. Quero apenas pedir perdão a todos pelas minhas falhas e dizer que se de um lado enfrentarei com serenidade as acusações infundadas, por outro estou sangrando por decepcioná-los como homem de Deus”, diz ele, na legenda do vídeo.

 

No vídeo, Passamani pede desculpas à igreja de Goiânia e familiares."Vi essa moça dizer que queria acabar com a igreja. Você não vai conseguir. A igreja não é minha. Você vai conseguir acabar comigo, mas com a igreja você não acaba", diz em um trecho. "Meu nome está em todas as redes mundiais com um crime que não cometi. Eu aceito, mas não destruam o nome da igreja. A igreja não tem culpa, minha família não tem culpa", prossegue.

 

O caso é investigado, em sigilo, pela  Delegacia Especializada no Atendimento às Mulheres (Deam). Mas, ao G1, a delegada Paula Meotti revelou que a investigação já foi iniciada e que algumas pessoas serão chamadas a depor nos próximos dias. De acordo com ela, o intuito é concluir o inquérito nos próximos dez dias.

 

Campanha nas redes sociais 

Após a denúncia, uma imagem dizendo que “assédio não é só pecado, é crime. Não se cale cristão. Denuncie” começou a ser compartilhada pela comunidade evangélica nas redes sociais, entre influenciadores e até cantores gospel, como Priscilla Alcântara.

 

Nota da igreja na íntegra

 

COMUNICADO IGREJA CASA


Sobre as divulgações de hoje na mídia impressa e falada informamos que o Conselho Pastoral da Igreja CASA está cuidadosamente acompanhando, apurando e tomando todas as providencias jurídicas e eclesiásticas que o caso requer.


Os pastores da Igreja CASA MINISTÉRIO CRISTÃO comunicam que o Pastor Davi Vieira Passamani, e apontados pela imprensa, já se encontram há semanas afastados de suas funções ministeriais para tratamento médico especializado e cuidados em família.


Urge mencionar que, a IGREJA é o corpo de CRISTO e sempre estará alinhada às mais exigentes práticas cristãs. A CASA desde seu nascimento sempre foi um lugar de acolhimento, inclusão, lugar de cura e consolo, e isso se estende desde o principal Pastor ao irmão que se assenta na última cadeira e no fim da fila. Tudo sem nenhuma distinção e/ou privilégio.


Estamos unidos e empenhados em adubar e preparar o REINO na certeza de que juntos erguiremos o exército de JESUS para a vitória na batalha final. Nascemos e continuaremos unidos por um propósito.


A paz esteja convosco.


IGREJA CASA MINISTÉRIO CRISTÃO

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade