Brasil

Cuidado: golpes virtuais ganham força durante a pandemia de coronavírus

O laboratório de segurança digital da PSafe afirma que mais de 4,5 milhões de brasileiros já acessaram páginas fraudulentas sobre o ''corona voucher''

Marisa Wanzeller*, Fernanda Strickland*
postado em 03/04/2020 06:00

Suposta oferta gratuita de serviço de streaming circula pelas redes sociais com link falsoGolpistas aproveitam o momento de crise para aplicar golpes relacionados ao novo coronavírus. Em tempos de isolamento social, criminosos utilizam plataformas on-line para alcançar a população. O principal canal de contato com as vítimas tem sido o WhatsApp. Mensagens são enviadas com links de formulários que, quando preenchidos, informam aos criminosos os dados pessoais das vítimas. O laboratório de segurança digital da PSafe afirma que mais de 4,5 milhões de brasileiros já acessaram páginas fraudulentas sobre o ;corona voucher; ; auxílio de R$600 para pessoas de baixa renda aprovado pelo governo na última segunda-feira (30).

O WhatsApp disponibilizou em seu portal dicas para os usuários não disseminarem fake news e tentativas de golpe. Dentre as orientações, está confirmar os fatos com fontes confiáveis. Em outros casos espalhados pela web, constam ofertas de pacotes de internet e serviços de streaming gratuitos. João Vitor Silva, de 23 anos, recebeu uma mensagem, encaminhada pelo irmão de 10 anos, anunciando que a Netflix havia liberado acesso gratuito à plataforma devido à pandemia. Ao clicar no link disponibilizado, o usuário acessa uma página apontada como insegura pelo navegador web. João achou o endereço ;estranho; e avisou o irmão que se tratava de um golpe.

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) divulgou, no último dia 25, aviso informando que a organização não oferece pacotes de internet ou qualquer outro produto. Acrescentaram, ainda, que a empresa ;jamais solicita dados pessoais por mensagem, e-mail ou ligação;.

Na ocasião, a Anatel alertou os seguidores nas redes sociais para golpes on-line. ;Links com descontos maravilhosos e preços muito convidativos? Pop-ups chamativos e banners em sites que você não conhece? Quando a esmola é demais, até o santo desconfia;, diz uma das publicações.

Em outra artimanha, os criminosos telefonam, principalmente para idosos, se passando por servidores do Ministério da Saúde e os informam de um benefício que será concedido após o envio de dados bancários e endereço. Nessa quarta-feira, a pasta divulgou um novo sistema de busca ativa de informações sobre o coronavírus. A população receberá ligações automáticas para realizar avaliação de sintomas. Assim, é possível acompanhar a evolução da doença e mapear áreas de risco de contágio. Para que as pessoas não caiam em golpes, a recomendação é conferir o número 136 no identificador de chamadas, referente ao Disque Saúde.

Promessa milagrosa

Em Brasília, o endocrinologista Pedro Leão foi interditado pelo Conselho Regional de Medicina (CRM) por falsas promessas relacionadas à Covid-19. As denúncias são de um anúncio sobre um kit que fortaleceria a imunidade e evitaria sintomas mais graves do novo coronavírus. O médico permanecerá afastado das atividades profissionais até o julgamento do caso.

O endocrinologista é dono do Instituto Pedro Leão, especializado em longevidade, metabologia, nutrição, emagrecimento e performance esportiva. Nas redes sociais, o especialista publica dicas de saúde e, recentemente, tratou sobre os possíveis benefícios da prática esportiva em meio à epidemia.

Em vídeo postado no Instagram, o médico se defende das acusações: ;Não prometi a cura para o coronavírus;. ;É um produto meramente para o reforço da imunidade, são ativos que há muitos anos já são usados na medicina para essa finalidade;, justifica o médico. Contatado pelo Correio, o Instituto Pedro Leão não quis se manifestar.

Saiba como se proteger


Nas redes sociais da Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF), o delegado Laércio Carvalho, da 35; DP, dá dicas para evitar golpistas em tempos de pandemia. Ele conta que há indivíduos que se passam por agentes do governo ou funcionários de hospitais públicos e particulares. E recomenda aos cidadãos que nunca forneçam dados bancários e pessoais por meio da ;internet, WhatsApp ou qualquer outro meio dessa ordem;. ;Denuncie o criminoso para que a polícia possa atuar;, reforça.

A Polícia Civil do Paraná (PCPR) também soltou um alerta à população. No informativo, a PCPR lista alguns golpes já identificados: ;agendamento do teste de coronavírus em casa, aplicativos que rastreiam a doença pelo mundo, álcool em gel da Ambev, vacina, acesso grátis à Netflix e kit gratuito com máscara e álcool em gel;. ;Via de regra, o usuário deve desconfiar de ofertas gratuitas;, recomenda a polícia sobre ofertas em sites e mensagens.

Vice-presidente e líder da prática de Cyber da Kroll no Brasil, Walmir Freitas, explica que hackers têm aproveitado o momento para infectar celulares, tablets e computadores por meio de e-mails com correntes e fake news sobre o coronavírus. ;O usuário pode clicar em um link com dicas de como se prevenir e, neste link, dar o acesso a todas as informações pessoais registradas em seu dispositivo;.

Para fugir de armadilhas como essa, Walmir diz ser importante procurar se informar em canais oficiais de informações, do governo federal, estadual, municipal. ;Principalmente, não devem seguir corrente de WhatsApp, nem canais de comunicação desconhecidos, pois até o excesso de informações é prejudicial;, aconselha.

*Estagiárias sob a supervisão de Andreia Castro

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação