Brasil

Covid-19: advogado diz ter sido impedido de acompanhar cliente em delegacia

Motivo alegado pela Polícia Civil seria a necessidade de evitar aglomeração de pessoas, segundo o advogado

Estado de Minas
postado em 03/04/2020 17:07
 (foto: Juarez Rodrigues/EM)
(foto: Juarez Rodrigues/EM)
Motivo alegado pela Polícia Civil seria a necessidade de evitar aglomeração de pessoas, segundo o advogadoA pandemia de COVID-19 tem deixado muita gente com nervos à flor da pele e criado situações inusitadas. Nessa quinta-feira (2), o advogado André Vartulli alegou ter sido impedido por membros da Polícia Civil de Minas Gerais (PC) de acompanhar o depoimento de um cliente na Delegacia Especializada em Prevenção e Investigação ao Furto e Roubo de Veículos Automotores, no Barro Preto, região Centro-Sul de Belo Horizonte.

Segundo ele, a alegação foi que o acesso à sala onde haveria a oitiva estava restrito para evitar maior risco de contágio pelo novo coronavírus. Ao insistir na intenção de acompanhar o processo, garante ter sido ameaçado por agentes, que teriam dito que ele poderia ;chamar até o papa; que não iria entrar.
"Se realmente há necessidade de restrição da presença de pessoas, que não se marcasse o depoimento. Não havia urgência", alega o advogado, que reclama da truculência dos membros da força de segurança.
Procurada pela reportagem, via assessoria de imprensa, a PC informa que "um homem investigadopela Divisão Especializada em PRevenção e Investigação a Furto e Roubo de Veículos Automoroes foi intimado para oitiva que seria realizada nesta unidade nesta sexta-feira. Como o investigado compareceu com dois advogados, os policiais civis orientaram para que um advogado aguardasse, enquanto o outro poderia acompanhar o cliente durante a oitiva, conforme protocolo de enfretamento à COVID-19, a fim de controlar, tanto quanto possível, o número de pessoas no local. Inclusive, um dos advogados foi atendido pelo chefe de Divisão, e todos procedimentos foram prontamente esclarecidos. Portanto, em momento algum, o investigado teve cerceado o direito de ser assistido por um advogado".
[SAIBAMAIS]O depoimento do cliente de André Vartulli acabou adiado. O advogado diz que vai aguardar o posicionamento do delegado responsável, mas não descarta recorrer à Justiça para estar junto do representado, como garantido em Lei. ;A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) já entrou em contato conosco dando total apoio e oferecendo ajuda se necessário. O importante é que os direitos sejam respeitados;, afirmou.
Vartulli gravou vídeo sobre o caso e publicou em redes sociais. No fim da peça é possível ouvir uma pessoa não identificado dizendo que vai ;quebrar a cara e o celular; do advogado se fosse filmado.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação