Brasil

Covid-19, gripe, resfriado ou alergia? Saiba diferenciar os sintomas

Em meio à pandemia, doenças respiratórias, comuns nesta época do ano, merecem atenção redobrada

Maíra Nunes, Renata Rios
postado em 19/04/2020 08:00
pessoas andandoNesta época do ano, é rotina para os brasileiros com problemas respiratórios, como asma e rinite alérgica, adoecerem. A diferença é que, agora, somado ao perigo de enfrentar a pandemia com o sistema imunológico debilitado, esses sintomas podem facilmente ser confundidos aos do novo coronavírus. Para ajudar e tentar diminuir a preocupação da população, especialistas explicam as diferenças entre as doenças e ressaltam a importância de saber quando as pessoas devem procurar o sistema de saúde.
A agressividade e o alto grau de transmissão do novo coronavírus vêm assustando países em todo o mundo. Mas problemas respiratórios, como asma e alergias, devem receber atenção especial neste período do ano no Brasil. O país está entrando nos meses que habitualmente registra o maior número de doenças respiratórias. ;Outras doenças respiratórias podem debilitar os pacientes, principalmente os idosos, pessoas com comorbidades e imunodeprimidos;, alerta a médica de Marta de Fátima.
;Nas estações de outono e inverno há aumento da frequência de infecções virais (gripe e resfriado) e bacterianas, como amigdalite, otite, sinusite, assim como aumento de crises de asma e piora da rinite alérgica;, explica a médica Marta de Fátima Rodrigues da Cunha Guidacci, membro da Comissão de Políticas de Saúde da Associação Brasileira de Alergia e Imunologia (Asbai).
Em meio à pandemia, muitos estão buscando atendimento médico por acreditarem estar com Covid-19, enquanto, na verdade, pode-se tratar de outras doenças respiratórias. O infectologista Gilberto Nogueira, que atua no Hospital Santa Luzia, relata que essa confusão ocorre porque a infecção pelo coronavírus pode apresentar desde sintomas leves, comuns em qualquer resfriado, até quadros graves de pneumonia viral e dificuldades respiratórias graves.
Segundo o médico, o importante é saber que quando se tem um resfriado comum com sintomas leves, mesmo que seja pelo novo coronavírus, se deve evitar procurar os serviços de saúde. ;É fundamental que as pessoas saibam quais são os grupos de risco e quais são os sinais de alarme para procurar atendimento médico;, alerta. A atenção deve ser redobrada em casos de febre por mais de 48 horas, falta de ar, esforço para respirar, pele pálida ou azulada, náuseas e vômitos. Ou sonolência excessiva, em caso de crianças e idosos.
ilustração de três pessoas tossindo

Grupos de risco

Fazem parte do grupo de risco pessoas com mais de 60 anos ou que apresentem alguma comorbidade, como diabetes e hipertensão, que não estejam controladas, ou problemas respiratórios. Nesse caso, os mais graves são enfisema pulmonar e DPOC (doença pulmonar obstrutiva crônica). Também entram no grupo de risco indivíduos com bronquite, incluindo os asmáticos. ;Por isso é tão importante saber quando procurar atendimento médico. Pessoas com asma e alergia precisam ter atenção especial se os sintomas que estão sentindo são diferentes do habitual ou se estão apresentando algum sinal de alarme;, ressalta Nogueira.
Uma boa notícia é que diversas regiões, não só no Brasil, mas mundo afora, estão apresentando uma melhora na qualidade do ar. Isso se deve à redução da poluição, o que ajuda a amenizar ou evitar problemas respiratórios, responsáveis por uma grande quantidade de pacientes nas emergências de hospitais. ;Estamos tendo menor exposição aos fatores que desencadeiam ou pioram os problemas alérgicos e infecciosos, principalmente os do Trato Respiratório Superior e Inferior;, pontua a médica.
; Duas perguntas para
infectologista Gilberto Nogueira, do Hospital Santa Luzia
Asma e alergias precisam de atenção especial devido ao coronavírus nesse período?
Sim, atenção é sempre necessária. Estamos entrando no período que habitualmente temos o maior número de doenças respiratórias. Por isto, saber quando procurar atendimento médico é tão importante. Pessoas com asma e alergia precisam ter atenção especial em relação aos sintomas, se o que estão sentindo é diferente do habitual ou se estão apresentando algum sinal de alarme.
É possível que a Covid-19 seja combinada a outra doença respiratória? Quais as consequências disso para a saúde do paciente?
Sim, chamamos isso de coinfecção. Pode acontecer essa combinação com outros vírus respiratórios, mas, na verdade, é pouco comum. Além disso, quando o indivíduo apresenta quadro respiratório grave de Covid-19, pode ficar mais propenso a adquirir outras infecções de origem bacteriana, com necessidade de tratamento antibiótico.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação