Brasil

Coronavírus: UTIs de quatro estados apresentam alto grau de saturação

Só nesta segunda-feira, 20 de abril, Pernambuco e Pará passaram a ter de lidar com hospitais superlotados e escassez de equipes médicas

Maíra Nunes
postado em 21/04/2020 08:00
UTI do Hospital Gilberto Novaes, em Manaus, para infectados com Covid-19. No Amazonas faltam leitos especiaisO cenário mais temido da pandemia do novo coronavírus começou a se apresentar no Brasil pelo Amazonas, primeiro estado a ver o sistema de saúde entrar em colapso pela falta de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) devido ao aumento de pacientes com a Covid-19. Na semana passada, foi a vez de o Ceará encarar essa dura realidade. E, ontem, Pernambuco e Pará passaram a ter de lidar com hospitais superlotados e escassez de equipes médicas.

Das 902 paraenses que testaram positivo no estado, a maioria é de Belém, que tem 655 casos confirmados. Também é na capital onde se concentra a maioria das mortes causadas pela doença: 27 das 35 registradas. Ontem, todos os 125 leitos de UTIs da rede municipal de Belém estavam ocupados. Dos internados em estado grave, 80% são de pessoas com suspeita ou confirmação da Covid-19.

Em Belém, o colapso do sistema não exclui a rede particular, conforme já informado pelo prefeito Zenaldo Coutinho, em entrevista coletiva, ontem. Na rede pública, o aumento da demanda de moradores com sintomas de infecção pelo novo coronavírus expôs a escassez de equipes médicas nas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs). As quatro UPAs existentes na capital estão funcionando no limite de capacidade. Duas delas chegaram a ficar desassistidas nos últimos dias.

Zenaldo fez até um apelo aos médicos para se inscreverem nas vagas de trabalho abertas pelo sistema de saúde do município durante a pandemia. Para a desafogar, a Secretaria Municipal de Saúde informou que aguarda a liberação de leitos via regulação municipal e estadual para transferir os pacientes para hospitais de referência.

O Pará parece seguir os passos de Pernambuco, que se tornou o terceiro estado a registrar fila de espera em UTIs para casos graves da Covid-19. Os 304 leitos exclusivos para pacientes contaminados pelo novo coronavírus não foram suficientes para atender à demanda gerada. Com 76 pessoas internadas vítimas da pandemia, Pernambuco atingiu 99% da taxa de ocupação dos centros de terapia intensiva.

Pernambuco soma 356 outros internados em leitos de enfermaria. A pandemia provocou 234 mortes até o momento. Mesmo com 2.690 confirmações ;; 231 só ontem ;;, apenas 50% da população estão praticando o isolamento social, enquanto o ideal seria de 70%.

;É de fundamental importancia que respeitem as normas de isolamento social;, reforçou o secretario estadual de Saude, André Longo.

O Ceará continua com 100% dos leitos de UTIs para Covid-19 da rede pública ocupados, mas espera a ativação de 36 novos hoje. No Amazonas, a Secretaria Estadual de Saúde informou que, ontem, a taxa de ocupação de UTIs era de 91%, enquanto que a de ocupação na enfermaria era de 75%.

(Com Maria Eduarda Cardim e Sarah Teófilo)

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação