Brasil

Homenagem à linha de frente

postado em 13/05/2020 04:02
No Dia Internacional da Enfermagem, celebrado ontem, profissionais da saúde de Brasília, Cuiabá, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, entre outras cidades, realizaram um ato em homenagem aos 98 colegas de profissão mortos na linha de frente do combate ao coronavírus em todo o país. O Brasil perdeu mais enfermeiros que Espanha e Itália juntas, até agora.
;Essa homenagem é para chamar a atenção em relação ao número de mortes de profissionais de enfermagem no Brasil, que é muito alto;, explica Dayse Amarílio, presidente do Sindicato dos Enfermeiros do Distrito Federal (SindEnfermeiro-DF). Segundo ela, até ontem, 109 profissionais da categoria morreram de coronavírus.

O ato em Brasília foi em frente ao Museu da República, na Esplanada dos Ministérios. Pacífico, respeitou as recomendações internacionais de distanciamento, com número limitado de participantes e uso de máscaras. Vestidos de jaleco com nomes dos colegas que morreram, enfermeiros e técnicos de enfermagem ficaram parados, em silêncio. Em seguida, anunciaram o nome das vítimas e se deitaram, um a um, como forma de protesto. A manifestação foi organizada pelo SindEnfermeiro-DF, Sindicato dos Auxiliares e Técnicos em Enfermagem do DF (Sindate-DF) e pelos conselhos federal e regional da categoria.
Em Cuiabá, os profissionais colocaram cruzes no canteiro central de uma avenida, visando chamar a atenção para o número de mortes provocadas pela doença, além de ressaltar a importância do isolamento social. Em BH, os enfermeiros se reuniram no centro da cidade e também distribuíram cruzes, com os nomes e cidades dos mortos, pela Praça Sete. No Rio, o ato ocorreu em frente às escadarias da Assembleia Legislativa, com cruzes e balões brancos.

Estagiário sob a supervisão de Andreia Castro

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação