Brasil

Superintendente da PF no Paraná deve ser substituído

Após exoneração do ex-diretor da PF Maurício Valeixo e pedido de demissão do ex-ministro Sérgio Moro, corporação passa por uma série de alterações

Sarah Teófilo, Renato Souza
postado em 14/05/2020 23:13
Após exoneração do ex-diretor da PF Maurício Valeixo e pedido de demissão do ex-ministro Sérgio Moro, corporação passa por uma série de alteraçõesApós a saída do ex-diretor-geral da Polícia Federal Maurício Valeixo, uma série de mudanças da corporação continua acontecendo. O foco agora é a superintendência do Paraná, chefiada pelo Luciano Flores, que possui larga atuação na Lava-Jato. Apontado como um nome próximo do ex-ministro da Justiça e Segurança Pública Sérgio Moro, ele entrou na mira do governo e deve ser removido do cargo nos próximos dias.

De acordo com informações obtidas pelo Correio, Flores já foi avisado que será exonerado, e dará lugar a uma pessoa de confiança do Executivo. Ele foi um dos delegados que interrogou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva durante a condução coercitiva dele, em 2017. O delegado foi indicado ao cargo por Maurício Valeixo, ex-diretor-geral da PF na gestão de Moro na pasta da Justiça. Na superintendência do Paraná, a tensão interna é grande com o vislumbre de mudança no comando da unidade.

Na última terça-feira (13), o delegado Carlos Henrique Oliveira, ex-superintendente da PF no Rio de Janeiro, foi nomeado diretor-executivo, sendo agora considerado o número dois da corporação, abaixo apenas do diretor-geral Rolando Alexandre. Antes, o cargo era ocupado pelo delegado Disney Rosseti, exonerado no mesmo dia. Também houve mudança na direção de Inteligência Policial da PF, com a exoneração de Cláudio Ferreira Gomes e a nomeação de Alexandre da Silveira Isbarrola.

Na segunda-feira (11) foi publicado no Diário Oficial da União (DOU) a exoneração do delegado Delano Cerqueira Bunn do cargo de diretor de gestão de pessoal e foi nomeada em seu lugar a delegada Cecília Silva Franco, que atuava como superintendente da PF no Tocantins.

Houve mudança também na direção de administração e logística policial, quando o delegado Roberval Ré Vicalvi foi exonerado e no lugar foi nomeado André Viana Andrade, que atuava como superintendente da PF no estado da Paraíba.

[SAIBAMAIS]O perito criminal Fábio Augusto da Silva Salvador foi demitido da direção técnica-científica da PF, ficando no lugar o perito Alan de Oliveira Lopes, que desde julho do ano passado atuava como assessor especial do ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes.

Salvador foi chefe da perícia da PF na Operação Lava-Jato em Curitiba e passou a atuar no governo federal em janeiro do ano passado, junto com o ex-diretor da PF Maurício Valeixo.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação