Publicidade

Correio Braziliense

Coronavírus: Brasil volta a registrar mais de mil mortos em um dia

Ao todo, o país acumula 24.512 óbitos pela doença


postado em 26/05/2020 20:00 / atualizado em 26/05/2020 20:39

(foto: AFP / Olivier DOULIERY)
(foto: AFP / Olivier DOULIERY)
O Brasil voltou a registrar mais de mil óbitos pelo novo coronavírus em um só dia, nesta terça-feira (26/5). De acordo com balanço divulgado pelo Ministério da Saúde, o país confirmou mais 1.039 vítimas da covid-19 e, com isso, elevou o total de mortos pela doença para 24.512.

O número de novos casos da doença também continua a crescer de forma exponencial. Mais 16.324 brasileiros foram infectados. Agora com 391.222 diagnósticos confirmados, o país permanece em segundo lugar no ranking mundial de casos totais. 

 

São Paulo lidera o ranking nacional, com 6.423 mortes e 86.017 casos. Rio de Janeiro aparece em seguida, com 4.361 óbitos. Outros quatro estados já superaram a barreira das mil mortes: Ceará (2.603), Pará (2.469), Pernambuco (2.328) e Amazonas (1.852). Juntos, esses seis estados têm 81,7% (20.036) das mortes confirmadas nos país. Todos os 26 estados mais o Distrito Federal já registraram casos e mortes. 

 
Em crescimento

Sem expectativa para que os casos comecem a cair, o Brasil ainda caminha para o pico da doença, que, segundo alguns estudos, deve acontecer em junho. Por isso, a previsão é que o país chegue à terceira posição entre nações com mais mortes em todo o mundo ainda esta semana, ultrapassando a Espanha e a França, que têm, respectivamente, 27.117 e 28.533 vítimas, segundo levantamento da Universidade Johns Hopkins. No ranking internacional de óbitos, o Brasil continua em sexto lugar, atrás de EUA, Reino Unido, Itália, França e Espanha, nesta ordem.

 

O secretário substituto de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Eduardo Macário, comentou a situação do país em relação aos outros países. "A curva de casos no Brasil ainda é crescente, comparada com a de outros países que já estão passando por uma situação de estabilidade e até mesmo de retorno a uma nova normalidade. A situação no Brasil ainda é de bastante risco e de bastante alerta para todos os serviços de saúde e para a população em geral", avaliou.

 

Por ser um território de tamanhos continentais, o pico de casos deve variar de acordo com a região. Segundo Macário, o Norte e o Nordeste estão em período sazonal de doenças respiratórias, enquanto, no Sul, os vírus respiratórios são previstos para o próximo mês. 

 

Diretrizes para estados e municípios

Questionado pelo Correio sobre a divulgação das diretrizes para balizar estados e municípios quanto ao isolamento social, Macário disse que a pasta pretende divulgar o documento o mais rapidamente possível. Desde o início da gestão do ex-ministro Nelson Teich que o relatório, já apresentado de forma geral, é prometido. No entanto, a pactuação entre o ministério e os conselhos de secretários estaduais e municipais não foi feita. 

 

"Hoje, tivemos uma reunião em que foi discutida justamente essas medidas e essa matriz de avaliação de risco. Neste momento, a gente tem uma equipe fazendo avaliação e temos algumas reuniões agendadas ao longo da semana para que a gente possa disponibilizar uma estratégia e uma matriz para avaliação de risco pactuada entre os três níveis de gestão", afirmou. 

 

O Ministério da Saúde divulgou ainda o número de pacientes recuperados da covid-19. Curaram-se 158.593 do total de pacientes diagnosticados com o novo coronavírus. Isso representa 40,5% das pessoas que tiveram a doença. Já os brasileiros que não resistiram representam 6,3% dos infectados. Outras 208.117 pessoas (53,2% do total) continuam em acompanhamento. 

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade