Publicidade

Correio Braziliense

Felipe Neto cobra Neymar sobre racismo e toma bronca do movimento negro

Felipe Neto apagou tuíte em que cobrava um posicionamento de Neymar sobre os protestos antirracismo depois de receber mensagens condenado o fato de um branco cobrar um negro sobre pautas racistas


postado em 01/06/2020 15:59 / atualizado em 01/06/2020 16:29

(foto: Twitter/Reprodução)
(foto: Twitter/Reprodução)
O youtuber Felipe Neto decidiu apagar um tuíte no qual cobrava o jogador de futebol Neymar por não se posicionar a respeito das manifestações antirracismo que tomaram conta dos Estados Unidos e começaram a se espalhar por outros países, inclusive no Brasil. O motivo: integrantes do movimento negro escreveram a Neto que um branco não deve cobrar um negro sobre pautas racistas.

Felipe Neto foi um dos internautas que, nesta segunda-feira (1/6), criticou Neymar por manter silêncio diante dos protestos motivados pela morte de George Floyd pela polícia norte-americana (veja algumas postagens abaixo). Horas depois, o youtuber apagou o tuíte e explicou a razão.

"Apaguei o tweet sobre o silêncio do Neymar após mensagens de integrantes do movimento negro, mostrando que um branco não deve cobrar de um negro sobre pautas racistas. De fato, não é meu papel cobrar o Neymar sobre isso. Vou seguir tentando ajudar, aprendendo e corrigindo quando errar", escreveu.


Pautas humanitárias


O youtuber, no entanto, prosseguiu e voltou a cobrar Neymar, desta vez por não se manifestar a respeito de pautas humanitárias: "Isso não muda o fato de eu condenar o silêncio do jogador, que é, disparado, o maior influenciador digital brasileiro no mundo, mas que se silencia a respeito de quase todas as pautas humanitárias e sociais que assolam seu país de origem e se espalham pelo planeta.

"Contudo, entendi que o papel de cobrar posicionamento do Neymar acerca de pautas que envolvem o racismo não cabe a um branco. Continuarei cobrando quando o assunto for Amazônia, fascismo e opressão, coisas que ele sempre se manteve calado. Sigamos em frente", finalizou.





Veja outros tuítes sobre a discussão:




Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade