Brasil

SP tem 118 mil casos e 7.994 mortes por covid-19, diz secretário de Saúde

O secretário também comunicou que entre a segunda-feira e esta terça-feira, 327 novos óbitos foram registrados, um crescimento de 4,2%

Bruna Lima
postado em 02/06/2020 13:35
O secretário também comunicou que entre a segunda-feira e esta terça-feira, 327 novos óbitos foram registrados, um crescimento de 4,2%Com mais 327 mortes e 6.999 confirmações de covid-19 nas últimas 24 horas, São Paulo bateu recorde em aumento diário e acumula 7.994 óbitos e 118.295 casos da doença. A atualização ocorre no primeiro dia após a implementação do plano de flexibilização das medidas de distanciamento social.

Em coletiva do governo de estado, o secretário de Desenvolvimento Regional do Estado de São Paulo, Marco Vinholi, alertou que os aumentos do dia não significam necessariamente que as infecções e mortes aconteceram nas últimas 24 horas. Ainda, que a base de cálculo para aferir a situação de determinado município leva em conta o acumulado semanal.

;O objetivo (do plano de SP) é demonstrar qual a deficiência daquela região e, portanto, o trabalho necessário para que a população tenha a segurança de um processo de retomada consciente;, afirmou Vinholi em coletiva de imprensa.

[SAIBAMAIS]O plano estadual define em cinco fases a retomada, levando em conta a capacidade assistencial, número de infectados e controle da transmissibilidade. Cabe ao governador assinar as atualizações que permitem ou não determinado município afrouxar as medidas, mas a decisão liberá-las está nas mãos dos prefeitos.

Bruno Covas, prefeito da capital, decidiu, por exemplo, que, antes de promover a reabertura, irá receber protocolos de cada setor e avaliar se permite a retomada. Entre as condições estão o compromisso de testagem, protocolos de higiene tanto dos funcionários como dos clientes, horários alternativos de funcionamento e sistema de agendamento.

A capital sofre com a alta taxa de ocupação de leitos, um dos indicadores para definir se o local deve aderir a um relaxamento ou restrição. No estado, o total de UTI;s em uso subiu de 69,3% para 73,5% de segunda para terça-feira. Já na Grande São Paulo, o número foi de 83,2% para 85,3%.

O governo estadual disse que apoiará os prefeitos na distribuição de equipamentos e insumos para equilibrar a demanda. ;Pode ser que os indicadores levem a reforçar as medidas de restrição, de distanciamento social. O que está se querendo é dar tratamento diferenciado a cada uma das regiões de acordo com suas características;, explicou João Gabbardo, novo secretário-executivo do Centro de Contingência do combate ao coronavírus em São Paulo.

[VIDEO1]

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação