Brasil

Internautas, políticos e famosos pedem justiça no caso do menino Miguel

No Twitter, o assunto lidera os tópicos mais comentados com mais de 123 mil posts

Diário de Pernambuco
postado em 04/06/2020 13:50
Menino MiguelO caso de Miguel Otávio, de 5 anos, que veio a óbito após cair do 9; andar de um prédio localizado Centro do Recife, vem repercutindo nacionalmente. Nas redes sociais, as hashtags #justicapormiguel e #justicaparamiguel ganharam força.

No Twitter, o assunto lidera os tópicos mais comentados com mais de 123 mil posts. Figuras como o deputado federal David Miranda (PSOL), a jornalista Manuela D;ávila, a chef de cozinha Paola Carosella e a ativista Luisa Mell aderiram à campanha em seus perfis oficiais. A última, utilizou o instagram para se pocionar sobre o caso e se colocar à disposição para pagar um advogado.

O abaixo-assinado Justiça por Miguel vem sendo amplamente divulgado nas redes e já conta com mais 230 mil assinaturas. A ação tem como objetivo pressionar as autoridades para que o caso receba a atenção devida.

O caso Miguel

Miguel, de 5 anos, estava passando o dia no trabalho da mãe, na terça-feira (2/6), no apartamento localizado no 5; andar do Píer Maurício de Nassau, um dos prédios das Torres Gêmeas, no bairro de São José. A criança faleceu após despencar de uma altura de aproximadamente 35 metros.

A empregadora da mãe de Miguel foi presa em flagrante na terça-feira (2/6) por homicídio culposo. De acordo com as autoridades, ela agiu com negligência. Mas, após pagar fiança de R$ 20 mil, responderá em liberdade.

A mulher, que não teve sua identidade revelada, foi parcialmente responsabilizada pelo crime, de acordo com o delegado Ramón Teixeira, da Delegacia Seccional de Santo Amaro, por estar com a "guarda momentânea da criança", enquanto a mãe, a empregada doméstica Mirtes Renata, caminhava com os cachorros da empregadora nos arredores do prédio.

[VIDEO1]

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação