Brasil

Covid-19: Testes da vacina de Oxford devem começar ainda em junho no Brasil

O Brasil será o primeiro país "de fora" a testar a vacina contra o novo coronavírus desenvolvida no Reino Unido.

Maria Eduarda Cardim
postado em 04/06/2020 19:05
 (foto: AFP / JUSTIN TALLIS)
(foto: AFP / JUSTIN TALLIS)
O Brasil será o primeiro país O Centro de Referência para Imunobiológicos Especiais (CRIE) da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), que conduzirá no Brasil o estudo da vacina contra a covid-19 produzida pela Universidade de Oxford, pretende iniciar os testes entre a segunda e terceira semana de junho. O Brasil será o primeiro país ;de fora; a testar a vacina contra o novo coronavírus desenvolvida no Reino Unido.

Para isso, a Unifesp, brevemente, começará a buscar voluntários aptos ao estudo. Os voluntários procurados pela universidade têm que ser adultos entre 18 a 55 anos que trabalham em ambientes com alto risco de exposição ao vírus, como profissionais da saúde, motoristas de ambulância e outros.

Os voluntários também devem ser soronegativos, ou seja, não podem ter contraído a doença anteriormente. Ao todo, dois mil brasileiros irão participar dos testes, que serão realizados com apoio do Ministério da Saúde.

Para a realização dos testes, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) publicou na noite da última terça-feira (2/6) a autorização para a realização do estudo clínico no país.

A Unifesp ainda não informou que os voluntários recrutados têm que estar fora do grupos de risco para participar do estudo e afirmou que nos próximos dias serão divulgadas novas informações e o detalhamento de como funcionará o estudo.

Por enquanto, os interessados em participar do estudo devem aguardar instruções para se inscreverem. ;O processo de recrutamento ainda não foi iniciado. Nos próximos dias, serão informados os requisitos e canais para o processo;, diz o site no qual a universidade oferece vagas em diversos estudos.

[VIDEO1]

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação