Brasil

Covid-19: Ministério da Saúde volta a exibir total de casos e óbitos

Tentativa de omitir dados terminou nesta terça-feira, com a inclusão de estatísticas que detalham o avanço da COVID-19

Guilherme Peixoto/Estado de Minas
postado em 09/06/2020 17:01
Tentativa de omitir dados terminou nesta terça-feira, com a inclusão de estatísticas que detalham o avanço da COVID-19Após retirar da plataforma oficial os dados totais do novo coronavírus no país, o Ministério da Saúde voltou a incluir, no site, os números consolidados da doença. Agora, na parte superior do portal, constam informações sobre os casos e óbitos acumulados. Segundo as estatísticas da pasta, o Brasil soma 707.412 registros de infecção e 37.134 mortes.

O portal covid.saude.org.br voltou a disponibilizar, também, gráficos e mapas que detalham o avanço da COVID-19 país afora. É possível ver, por exemplo, a curva que mostra a subida do total de casos desde a primeira confirmação, em 26 de fevereiro.

O destaque, contudo, continua sendo o número de recuperados. Eles estão em um box verde e, por isso, se diferenciam das demais estatísticas. São, segundo a saúde federal, 290.040 brasileiros curados, além de outros 380.238 em acompanhamento.

Há, ainda, estatísticas estaduais sobre o coronavírus. Além dos mapas de calor, responsáveis por ressaltar os estados mais afetados pela pandemia, uma tabela disseca os dados regionais.

De acordo com o Ministério da Saúde, a última atualização das estatísticas foi feita às 18h30 dessa segunda-feira.
Controvérsias
Após o governo federal mudar a forma de divulgar os números, atrasando as atualizações diárias e omitindo os números totais, veículos de imprensa se uniram para levantar as estatísticas. Segundo o consórcio, o país tem 710.887 registros de contaminação e 37.312 óbitos pela doença. São, portanto, 3.1475 casos e 178 mortes a mais que o apurado pelo Ministério da Saúde.

Histórico

[SAIBAMAIS]Na semana passada, o governo federal passou a divulgar os boletins diários do coronavírus apenas por volta das 22h. O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) chegou a dizer, inclusive, que a TV Globo não poderia mais repercutir os números no Jornal Nacional. Irônico, ele chamou a emissora de "TV Funerária".

A partir de sexta-feira, os dados consolidados deixaram de ser divulgados. Passaram a constar, apenas, os números referentes às 24 horas anteriores. No sábado, Bolsonaro justificou dizendo que a consolidação não retrata o momento do país.

Nessa segunda-feira, o Palácio do Planalto anunciou a criação de nova plataforma para armazenar os dados. O secretário-executivo do Ministério da Saúde, Elcio Franco, garantiu a volta dos números consolidados.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação