Brasil

Record é criticada por chamar morto de 'agiota' baseada em fala de vizinhos

Durante a cobertura de um homicídio ocorrido em São Paulo, a família da vítima se revoltou contra a repórter Luiza Zanchetta e o apresentador Luiz Bacci

Humberto Martins/Estado de Minas
postado em 10/06/2020 08:44

Durante o programa Cidade Alerta a família do homem chamado de 'agiota' se revoltouUm desentendimento entre jornalistas e entrevistados foi registrado ao vivo nesta terça-feira, no programa Cidade Alerta, da TV Record. Durante a cobertura de um homicídio ocorrido em São Paulo, a família da vítima se revoltou contra a repórter Luiza Zanchetta e o apresentador Luiz Bacci, após o homem assassinado ser classificado pela reportagem como ;agiota;.

Um dos filhos da vítima chegou a partir para cima da repórter e do cinegrafista. Sua outra filha, Amanda, foi entrevistada ao vivo e disparou contra a emissora.

;Eu perdi meu pai hoje e não estou vendo um pingo de respeito aqui, vocês falando que ele é agiota, gente! Como assim, qual é essa informação? Da onde vocês tiraram isso, por favor? Eu acho que vocês têm que ter um pingo de consideração! (...) Nem o nome vocês estão passando direito, gente, como vocês vão passar a profissão do meu pai? Meu pai tinha casa de aluguel; e o nome dele é Josivaldo. (...) Vocês não podem afirmar uma coisa. De repente, vocês vêm com suposições de vizinho? Achei que o jornalismo da Record era mais responsável;, disse a moça.

Durante a discussão, a palavra ;agiota; foi substituída na legenda da matéria por ;Josenildo; e depois simplesmente por ;homem;. A prática de agiotagem ou usura é crime contra a economia popular previsto no art. 4; da Lei n; 1.521/1951. A pena estabelecida é detenção de seis meses a dois anos e multa.

[VIDEO1]

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação