Brasil

PF ganha prêmio internacional por identificar autores do 'roubo do século'

O crime ocorreu em 2017 no Paraguai, com envolvimento de brasileiros, e a identificação dos criminosos foi feito pelo DNA

Jailson R. Sena*
postado em 24/06/2020 16:21
Prédio da transportadora de valores no ParaguaiA Polícia Federal foi vencedora do DNA Hits of the Year 2020 pelo trabalho realizado na identificação dos responsáveis por um roubo transnacional a uma empresa de segurança e transportadora de valores localizada em Ciudad del Este, no Paraguai, em abril de 2017. A premiação é entregue pela Gordon Thomas Honeywell ; Governmental Affairs, dos Estados Unidos.

"Ser reconhecido como o DNA Hit of the Year é um grande privilégio e uma honra. Tenho orgulho dos homens e mulheres de nossa força policial que trabalharam muito para coletar e analisar o DNA, para ajudar a levar os criminosos responsáveis por esse crime à Justiça", exaltou o diretor-geral da PF, Rolando Alexandre de Souza.

Alexandre também ressaltou a importância do banco genético para resolver o caso. "A solução do caso do assalto à transportadora de valores ocorrido no Paraguai (conhecido na imprensa mundial como ;o roubo do século;) destaca o valor dos bancos de dados de DNA do Brasil para resolver crimes", disse.

Esse reconhecimento internacional ocorreu devido ao grande número de análises genéticas realizadas nesse caso e à capacidade do DNA de identificar membros de organizações criminosas violentas. "O caso do Brasil se destacou por causa da enorme quantidade de evidências de DNA processadas nesse caso único", afirmou o juiz Walther Parson, professor do Instituto de Medicina Legal da Universidade de Innsbruck, na Áustria.

O painel de juízes também elogiou o caso brasileiro devido às ações recentes do país para aprimorar o uso de DNA forense. "O Brasil tomou recentemente a importante decisão de expandir seu programa de banco de dados de DNA. Essa expansão fará com que muitos outros crimes sejam resolvidos no Brasil, e contribuirá para a redução geral da violência e do crime organizado na América Latina", disse Parson.

Nos últimos dois anos, o Brasil tem desenvolvido um sólido projeto de expansão dos bancos de perfis genéticos, passando a priorizar tal método para solucionar crimes e identificar criminosos violentos. Durante esse período, um financiamento significativo do governo foi alocado para expandir os laboratórios de DNA, nos âmbitos estaduais e federal.
*Estagiário sob supervisão de Fernando Jordão

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação