Brasil

Mirtes Renata, mãe de Miguel, presta novo depoimento em delegacia

Ela foi ouvida durante mais de três horas pelo delegado da Polícia Civil Ramón Teixeira, que investiga as circunstâncias que levaram à queda e morte do menino no dia 2 de junho

Diário de Pernambuco
postado em 25/06/2020 21:54
Ela foi ouvida durante mais de três horas pelo delegado da Polícia Civil Ramón Teixeira, que investiga as circunstâncias que levaram à queda e morte do menino no dia 2 de junhoMirtes Renata Santana de Souza, mãe do menino Miguel, de 5 anos, que morreu após cair do 9; andar do edifício Píer Maurício de Nassau, prestou novo depoimento na tarde desta quinta-feira (25) na 1; delegacia Seccional de Polícia de Santo Amaro, na área central do Recife. Ela foi ouvida durante mais de três horas pelo delegado da Polícia Civil Ramón Teixeira, que investiga as circunstâncias que levaram à queda do menino no dia 2 de junho. Este é o segundo depoimento de Mirtes, que esteve na delegacia no dia do caso. Procurada pela imprensa, ela não quis dar entrevista. Mirtes estava acompanhada dos seus três advogados e sua mãe, Marta Alves, avó de Miguel, que também não quiseram falar com os repórteres.

Decorridos 23 dias do acidente, a Polícia tem até a próxima quinta-feira (2) para concluir o inquérito. Ao todo, sete pessoas foram ouvidas. A empregadora de Mirtes, Sarí Côrte Real, que responde em liberdade pelo crime de homicídio culposo, quando não há intenção de matar, ainda não foi interrogada pela polícia. No dia do caso, foi levada à delegacia, mas optou por não prestar depoimento.

O menino Miguel Otávio estava sob os cuidados de Sarí Gaspar Côrte Real, do dia 2 de maio, quando caiu do 9; andar do edifício Píer Maurício de Nassau, uma das Torres Gêmeas, no bairro de São José. Enquanto isso, sua mãe passeava com o animal de estimação da empregadora. Nesse intervalo de tempo, Miguel subiu sozinho no elevador e, ao chegar no 9; andar, despencou de uma altura de aproximadamente 35 metros. Segundo a polícia, a criança procurava pela mãe quando caiu no prédio.

As imagens do circuito interno de segurança do condomínio onde Miguel caiu mostraram o momento em que o menino foi deixado sozinho no elevador. Nas imagens, Sarí consegue convencer o menino a deixar o elevador em tentativas anteriores. Na última, ela desiste de impedir que ele suba, aperta o botão do último andar e a porta se fecha. Em seguida, Miguel pressiona outros botões, o elevador para no 7; andar e o menino desce somente quando chega no 9;.

[SAIBAMAIS]De acordo com as primeiras investigações, as imagens das câmeras confirmam a negligência que levou Sarí a ser presa em flagrante por homicídio culposo. Segundo o delegado, Sarí estava com a "guarda momentânea da criança", o que a tornou parcialmente culpada pelo acidente. O caso é previsto no Art. 13 do Código Penal, que pressupõe ação culposa ao não cumprimento da obrigação de cuidado, vigilância ou proteção.

Sarí Gaspar Corte Real é espora do prefeito de Tamandaré, no Litoral Sul de Pernambuco, Sérgio Hacker. Ela foi presa em flagrante por homicídio culposo e liberada, após pagamento de fiança no valor de R$ 20 mil.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação