Brasil

'Morra quem morrer', diz prefeito de cidade na Bahia sobre reabrir comércio

No vídeo que circula nas redes sociais, o gestor afirma que autorizará que estabelecimentos comerciais reabram as portas daqui a uma semana, em 9 de julho

Correio Braziliense
Correio Braziliense
postado em 02/07/2020 11:30

prefeito de Itabuna, Fernando Gomes;No dia 8, mandei fazer o decreto, que no dia 9 abre, morra quem morrer;. Essa fala do prefeito de Itabuna, Fernando Gomes, causou polêmica nas redes sociais nesta quinta-feira (2/7). No vídeo que circula nas redes sociais, o gestor afirma que autorizará que estabelecimentos comerciais reabram as portas daqui a uma semana, em 9 de julho.

;Primeiro, lutar pela vida, a vida é uma só. [Depois que] morrer, acabou [a vida]. Não tem fortuna, não tem pobreza, não tem falência, não tem nada. Mas não posso abrir uma coisa que não tenho cobertura. Com a dúvida, com os nossos morrendo por causa de um leito em Itabuna, vou transferir essa abertura. No dia 8, mandei fazer o decreto, que no dia 9 abre, morra quem morrer;, afirma Gomes no vídeo.

[VIDEO1]

Em nota ao portal G1, a prefeitura de Itabuna alega que o prefeito foi mal interpretado. ;De acordo com a fala do prefeito ele estava contrariado com a situação, porque entende a necessidade da reabertura do comércio, visto que aproximadamente 40 lojas não voltarão a abrir em Itabuna, e vários pais de família estão desempregados;, diz trecho do texto.

Ainda segundo a prefeitura, o prefeito recuou na decisão de reabrir as atividades antes, desde o dia 1; . ;Voltou atrás na decisão da reabertura pois recebeu um relatório da Procuradoria Jurídica do Município informando sobre a ocupação de 100 % dos leitos de UTI. De acordo com o prefeito, ;Seria irresponsabilidade reabrir o comércio com 100% de ocupação dos leitos da UTI;;, afirma.

Itabuna tem 2.637 casos confirmados da covid-19, sendo 58 mortes em decorrência da doença, de acordo com o último boletim da Secretaria de Saúde da Bahia.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação