Brasil

Diretor do Sírio Libanês: temos que estabilizar antes de dar próximo passo

Ainda hoje, o governador do DF, Ibaneis Rocha, assinou novo decreto que libera todas as atividades comerciais, industriais e educacionais presenciais no Distrito Federal

Maria Eduarda Cardim
postado em 02/07/2020 15:29
Gustavo FernandesApesar de ver vontade do governo do Distrito Federal em acertar o momento ideal para uma possível reabertura das atividades, o médico oncologista e diretor do Hospital Sírio-Libanês em Brasília, Gustavo Fernandes, afirmou que, em sua visão, seria necessário uma maior estabilização na curva de casos do novo coronavírus antes da retomada de alguns serviços.

;Eu fico me perguntando se tá na hora de dar o próximo passo, minha visão seria que temos estabilizar isso um pouquinho mais antes de dar o próximo passo. Mas eu não sou o tomador de decisão e eu tenho certeza que o governo usa algoritmos, especialistas e previsões que devem apontar que é viável abrir no dia 7;, disse em entrevista ao Correio no programa CB.Saúde, exibido nesta quinta-feira (2/7).

Ainda hoje, o governador do DF, Ibaneis Rocha (MDB), assinou um novo decreto que libera todas as atividades comerciais, industriais e educacionais presenciais no Distrito Federal. Academias e salões de beleza, que atualmente estão fechados, voltarão a operar, por exemplo, na próxima terça-feira (7/7). Já os bares e restaurantes retomam às atividades em 15 de julho.

O diretor do Sírio-Libanês em Brasília acredita que o governo mudará a recomendação caso perceba, mais próximo da data, que não é o indicado. ;As verdades estão envelhecendo muito rapidamente a gente tem que se acostumar a mudar de ideia;, afirmou.

[SAIBAMAIS]Por causa da falta de conhecimento do vírus, Gustavo Fernandes explica que as informações estão sendo construídas em tempo real e, por isso, existe uma dificuldade natural em acertar previsões.

;É muito mais razoável assumir uma previsão errada e mudar o curso das coisas do que seguir no caminho equivocado. [...] Não dá para a gente se ater muito ao que se falou ontem e entender como se fosse uma promessa porque de fato a cena muda todo dia;, analisou.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação