Brasil

SP muda plano e antecipa abertura de bares, academias, cinemas e teatros

Com isso, algumas flexibilizações que só estavam previstas na fase verde, agora poderão abrir com restrições na fase amarela.

Bruna Lima
postado em 03/07/2020 16:16
Com isso, algumas flexibilizações que só estavam previstas na fase verde, agora poderão abrir com restrições na fase amarela.O governo de São Paulo anunciou, na coletiva desta sexta-feira (3/7), um novo protocolo de abertura de atividades não essenciais, antecipando o funcionamento de atividades culturais, academias, salões de beleza e expandindo horários de bares e restaurantes. Com isso, algumas flexibilizações que só estavam previstas na fase verde, agora poderão abrir com restrições na fase amarela.

Museus, centros culturais, cinemas, teatros e casas de espetáculo poderão reabrir após 28 dias consecutivos em que a região permanecer na fase amarela (entenda as fases abaixo). A condição é que o evento seja restrito ao público sentado, com vendas antecipadas, lugar marcado e impossibilidade de retirar a máscara durante a programação, inclusive para comer.

A venda de ingressos deve ser exclusivamente online, para assentos marcados e horários pré-agendados e será necessário controlar o acesso e o número de pessoas, observando a lotação permitida de 40% da capacidade. "São Paulo já salvou mais de 70 mil vidas ao longo de cinco quarentenas. Prosseguiremos com uma quarentena não mais homogênea, fundamentada no Plano São Paulo", disse o governador João Dória, frisando que, em caso de necessidade, a flexibilização pode regredir. "Faremos com a máxima cautela, baseado na ciência para salvar vidas."

O passo para trás, com adoção de maior rigor, ocorreu em Campinas, por exemplo, que volta à fase vermelha, com restrição total de atividades não essenciais. Ao todo, são dez áreas do estado nesta etapa. Departamentos Regionais de Saúde de Araçatuba, Bauru, Franca, Marília, Piracicaba, Presidente Prudente, Registro, Ribeirão Preto e Sorocaba também estão na etapa mais restritiva.

Já na etapa laranja, ficam as áreas de Araraquara, Baixada Santista, Barretos, São João da Boa Vista, São José do Rio Preto e Taubaté, além das sub-regiões Leste (Alto Tietê), Norte (Franco da Rocha) e Oeste (Osasco) da Grande São Paulo. Na Grande São Paulo, a capital e as sub-regiões do ABC e de Taboão da Serra permanecem na etapa amarela.

No caso da capital, que permanece no estágio amarelo desde 29 de junho, caso consiga manter os níveis como estão, deve retomar essas atividades em 27 de julho. O prefeito Bruno Covas afirmou que iria adequar o decreto com as novas orientações e confirmou, ainda, a abertura de bares, restaurantes e salões de beleza a partir da próxima semana. As condições são de funcionamento com 40% da capacidade do estabelecimento e redução de jornada e abertos até no máximo 17h. Os shoppings também poderão funcionar por 6 horas e não mais 4h.

Já os grandes eventos e outras atividades culturais com público em pé só serão permitidas quando a região passar 28 dias na fase verde. Mesmo nela, a ocupação máxima será de 60% da ocupação, com uso de máscara e marcações para delimitar a distância entre as pessoas.


Academias e salões de beleza

Academias serão reabertas na fase amarela, com ocupação máxima de 30% da capacidade, funcionamento máximo por 6 horas diárias, uso obrigatório de máscaras e entrada de clientes apenas com agendamento prévio. As aulas coletivas, bem como acesso aos chuveiros e vestiários continuarão suspensos.

Salões de beleza também poderão funcionar com ocupação máxima de 40% da capacidade, funcionamento máximo por 6 horas diárias.

No caso de idosos e pessoas com comorbidade, considerados mais vulneráveis à doença, a recomendação é que continuem adotando o isolamento social, apenas devendo sair para realizar atividades essenciais, quando necessário.

"Para os grupos de riscos as recomendações continuam valendo: devem permanecer em casa. Até quando? Provavelmente, até que nós tenhamos vacina e enquanto isso, poderão sair com todos os cuidados necessários para aquelas atividades que forem muito importantes como, por exemplo, buscar seu atendimento médico, fazer os exames preventivos, cuidar da saúde", detalhou o chefe do centro de combate ao novo coronavírus em São Paulo, João Gabbardo.

Conheça o regramento para abertura dos estabelecimentos em cada uma das fases:


Fase vermelha

Na fase vermelha, ficam liberadas apenas as atividades consideradas essenciais.


Fase laranja

Na fase laranja, shoppings centers (com proibição de abertura das praças de alimentação), comércio de rua e serviços em geral podem funcionar com capacidade limitada a 20%, horário reduzido para quatro horas seguidas e adoção dos protocolos padrão e setoriais específicos. Fica proibida a abertura de bares e restaurantes para consumo local, salões de beleza e barbearias, academias de esportes em todas as modalidades e outras atividades que gerem aglomeração.

Fase amarela

Na fase amarela, shoppings centers (com proibição de abertura das praças de alimentação), comércio de rua e serviços em geral podem funcionar com capacidade a limitada 40%, horário reduzido para seis horas seguidas e adoção dos protocolos padrão e setoriais específicos. Adiciona-se à lista salões e barbearias, além de bares e restaurantes que estarão liberados apenas para atendimento ao ar livre. Academias abrem parcialmente para atividades individuais e eventos sentados, com as especificidades detalhadas na matéria, podem funcionar.


Fase verde

Na fase verde, fica liberado o funcionamento de todos os estabelecimentos comerciais e de serviços, incluindo academias e praças de alimentação dos shoppings, desde que com capacidade limitada a 60% e adoção dos protocolos padrão e setoriais específicos. Eventos em pé são permitidos, desde que respeitado distanciamento de 1,5m e com uso de máscaras, além de controle de entrada.

Fase azul

Retomada da economia dentro do chamado ;novo normal;.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação